Neymar tem bola dividida hoje com a Receita Federal

O craque Neymar vai defender o Barcelona contra a Real Sociedad, no Anoeta, pelas quartas de final da Copa del Rey no fi..

Redação - 19 de janeiro de 2017, 10:20

O craque Neymar vai defender o Barcelona contra a Real Sociedad, no Anoeta, pelas quartas de final da Copa del Rey no final da tarde. Horas antes, porém, o brasileiro estará de olhos e ouvidos atentos em Brasília, onde acontece uma sessão do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), em Brasília, para julgar seu recurso contra uma multa aplicada pela Receita Federal que alega ter sido ludibriada em pelo menos R$ 63,6 milhões nas últimas declarações.

Neymar foi considerado culpado em decisão unânime pela Delegacia da Receita Federal do Rio de Janeiro por sonegação fiscal em março de 2015 e recebeu sanção de R$ 188,8 milhões (valor que se aproxima dos R$ 200 mi, com juros). O caso provocou bloqueio de bens do atleta e recursos suspensos.

Como funciona

O Carf é um órgão vinculado ao Ministério da Fazenda, mas independente do Fisco. É a última instância administrativa para tentar evitar a multa. A decisão é colegiada, com a participação de oito conselheiros, quatro deles indicados pela Fazenda, e os outros quatro representantes do contribuinte, indicados por confederações econômicas nacionais, como a CNI (Confederação Nacional das Indústrias). No entanto, se houver empate, o equilíbrio desaparece, já que o voto de qualidade é sempre do presidente da turma julgador, em regra um auditor indicado pelo Fisco. De acordo com Marcos Neder, defensor de Neymar, "o Carf, nos últimos anos, no geral, decide a favor da Fazenda".

Com informações do portal goal.com