Omar Feitosa pede foco do Paraná no Cianorte antes de pensar em classificação

Equipe paranista terá dois jogos seguidos em casa que podem aproximar o Tricoor da próxima fase, mas treinador pede cautela para não gerar ansiedade no time

Gabriel Sawaf - 10 de junho de 2022, 10:48

Divulgação/Paraná
Divulgação/Paraná

O Paraná Clube volta a campo na tarde deste sábado (11), às 16h, para encarar o Cianorte, na Vila Capanema, em duelo válido pela nona rodada do Campeonato Brasileiro da Série D. 

O duelo é o primeiro de uma sequência de duas partidas seguidas do Tricolor dentro de casa. No momento, o Tricolor é o segundo colocado do Grupo A7, com 16 pontos e trabalha com o número mágico de 22 pontos para garantir sua vaga para a próxima fase.

Apesar de estar com a vaga encaminhada, o treinador Omar Feitosa pede cautela e foco  nos dois duelos para conseguir chegar aos resultados necessários antes de se pensar na classificação em si.

“No futebol as coisas mudam em 15 minutos, ou em seis minutos, como contra o Santo André. Então os dois jogos em casa são importantíssimos, o primeiro esse contra o Cianorte. Focar bem para buscar o resultado, buscar a vitória”, pontuou. 

Outro ponto destacado por Feitosa é ansiedade e concentração total no Cianorte. O técnico paranista também falou sobre a chegada de Osmar Loss ao Leão e também que a equipe deve estar atenta nas peças que o novo comandante pode usar em sua estreia.

“Temos que cuidar para não gerar essa ansiedade, a concentração é total no Cianorte, tem que tentar estudar como o Osmar Loss monta as equipes dele, tanto com o trabalho a médio prazo como numa chegada, as cartas na manga que ele usa para o time jogar bem rapidamente”, ressaltou.

O Paraná vem de um empate fora de casa contra o Santo André. Apesar da oscilação do Tricolor dentro da partida, Feitosa acredita que não é necessário fazer muitas alterações no estilo de jogo da equipe, já que o duelo no ABC paulista contou com aspectos singulares. 

“Jogamos em um gramado sintético seco contra um time que fez 17 faltas cortou nosso time o jogo inteiro. Não é crítica, é só uma constatação, e isso dê a impressão de que devemos fazer grandes correções, o que não é necessário", observou.