Palmeiras sofre, mas vence Flamengo na prorrogação e conquista o tri da Libertadores

O Palmeiras venceu o Flamengo na prorrogação, por 2 a 1, neste sábado (27) no mítico estádio Centenário, em Montevidéu, ..

Rafael Nascimento - 27 de novembro de 2021, 19:37

Foto: Divulgação/Conmebol
Foto: Divulgação/Conmebol

O Palmeiras venceu o Flamengo na prorrogação, por 2 a 1, neste sábado (27) no mítico estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, e conquistou o tricampeonato da Copa Libertadores.

Os gols da aguardada final, que reuniu em campo os dois últimos campeões da principal competição entre clubes do continente, foram anotados por Raphael Veiga, logo aos cinco minutos, e Gabi, aos 26 do segundo tempo.

Na prorrogação Deyverson, se aproveitando uma falha bisonha de Andreas Pereira, foi o herói improvável e marcou o gol do título palmeirense.

Esta foi a segunda final consecutiva entre times brasileiros da Libertadores, que tinha o próprio Alviverde como atual campeão.

Com o título, o Palmeiras une à São Paulo, Grêmio e Santos no rol de times nacionais com três taças da Liberta.

Além da glória eterna pelo tricampeonato, a equipe paulista também garante uma premiação de US$ 22,55 milhões (R$ 125,5 milhões na cotação atual) aos cofres pelo título, consideradas as fases anteriores da competição.

Vice-campeão, o Flamengo, por sua vez, recebe da Conmebol, organizadora da Libertadores, US$ 13,5 milhões, ou pouco mais de R$ 75 milhões.

Tira-teima entre os últimos campeões da Copa Libertadores

Dois últimos campeões da Copa Libertadores, Flamengo e Palmeiras entraram em campo no estádio Centenário em alta rotação e com propostas ofensivas desde os primeiros minutos.

O Palmeiras abriu o placar logo aos 5 minutos, em ótima jogada iniciada por Gustavo Gómez. O zagueiro acionou Mayke pela direta, que com liberdade serviu Raphael Veiga no miolo da grande área. Na cara do gol, o camisa 23 só teve o trabalho de chapar a bola com o pé esquerdo: 1 a 0.

O Alviverde seguiu aproveitando os espaços oferecidos pelo adversário e voltou a levar perigo aos 9 minutos, com Dudu.

O Flamengo conseguiu se reorganizar a partir dos 15 minutos. Após boa troca de passes, Bruno Henrique invadiu a área, mas foi travado por Mayke na hora de finalizar. Em nova investida, De Arrascaeta alçou a bola na cabeça de Gabi, mas o atacante errou o alvo.

A principal chance do Rubro-Negro no primeiro tempo saiu dos pés de De Arrascaesta, aos 42 minutos. O uruguaio recebeu de Bruno Henrique dentro da área e arrematou firme, mas Weverton evitou o empate.

O Palmeiras voltou para a etapa final com suas linhas baixas, recuado. O time carioca, então, passou a empilhar chances de gol. Logo no primeiro minuto Gabi arrancou pela direita e invadiu a área, mas hesitou na hora de finalizar e perdeu o ângulo. Após cobrança de escanteio, a cabeçada de Willian Arão triscou a trave direita palmeirense.

A blitz flamenguista seguiu com David Luiz e Bruno Henrique, que por muito pouco não empataram o jogo. Renato Gaúcho deixou sua equipe ainda mais aguda ao promover a entrada de Michael, sensação do Campeonato Brasileiro.

Aos 26 minutos, Gabi tabelou com De Arrascaeta e bateu cruzado para deixar tudo igual na decisão em Montevidéu: 1 a 1.

Michael teve uma chance de ouro de virar o jogo, aos 40. Em nova assistência de De Arrascaeta, o camisa 19 ganhou da marcação e encheu o pé, mas errou o alvo.

Com o placar em igualdade, ambas as equipes redobraram a atenção defensiva nos minutos finais e o jogo foi para a prorrogação.

Falha bisonha e gol do título do “renegado" Deyverson

Euforia, agonia. Os minutos extras foram de fortes emoções para Palmeiras e Flamengo em busca do tricampeonato.

O Alviverde retomou a vantagem no placar aos 4 minutos, com Deyverson. O atacante, muitas vezes criticado pela torcida e que acabara de entrar no lugar de Raphael Veiga, mostrou oportunismo após falha individual de Andreas Pereira. A bola ainda escorou no pé do goleiro Diego Alves, mas entrou: 2 a 1.

Com o relógio em seu desfavor, o Flamengo necessariamente precisou de expor e assumiu correr riscos. Renato Gaúcho foi para o tudo ou nada com as entradas de Vitinho e Pedro.

Só que o Palmeiras, bem postado, ainda contou com Felipe Melo nos minutos finais para segurar o placar e conquistar mais uma Libertadores.