Palmeiras vence e abre vantagem sobre o Internacional na Copa do Brasil

Folhapress

palmeiras

O Palmeiras saiu na frente do Internacional na disputa por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil. Nesta quarta (10), no Allianz Parque, o time de Felipão venceu os gaúchos por 1 a 0, com gol de Zé Rafael, e levará a vantagem para o confronto da volta das quartas, marcado para a próxima quarta-feira (17), no Beira-Rio.

Em uma partida bastante truncada e disputada, o Palmeiras teve as melhores oportunidades e poderia até ter feito mais gols se não tivesse desperdiçado tantos contra-ataques. Deyverson, particularmente, errou bastante na hora do passe final.

Antes de se reencontrarem pela Copa do Brasil, os dois times jogam no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro. O Palmeiras entra em campo no sábado (13) para enfrentar o São Paulo, no Morumbi, enquanto o Inter visita o Athletico-PR no domingo (14), na Arena da Baixada.

CRONOLOGIA DO JOGO

A partida começou pegada, com marcação forte dos dois times. O Palmeiras teve mais volume até abrir o placar aos 19 minutos, em cabeçada de Zé Rafael, aproveitando cruzamento certeiro de Bruno Henrique.

No segundo tempo, o Inter foi mais para cima, mas o time da casa se segurou bem na defesa e perdeu várias chances de ampliar no contra-ataque.

O MELHOR: BRUNO HENRIQUE

O volante do Palmeiras foi essencial para travar o meio-campo do Inter e, ao lado de Felipe Melo, circulou muito bem a bola para abafar os momentos em que os colorados ensaiavam uma pressão. Também foi decisivo na frente ao acertar cruzamento primoroso na cabeça de Zé Rafael para tirar o zero do placar. Quase deixou o dele no segundo tempo, mas foi travado na hora do chute dentro da área.

O PIOR: DEYVERSON

Normalmente uma peça importante do funcionamento ofensivo do Palmeiras, desta vez o centroavante jogou mal. Além de perder várias disputas no alto para Rodrigo Moledo, o que costuma ser seu ponto forte para desafogar o time alviverde, ele errou muitos passes em contra-ataques que poderiam resultar em chances claras de gol para o time da casa. Uma furada no segundo tempo, quando teve a chance de deixar Dudu em boa condição, deixou Felipão particularmente nervoso. Depois, ele chegou até a pedir desculpas à torcida ao errar outro passe.

GUERRERO FAZ JOGO APAGADO

Diante de uma dupla de zaga que está há mais de 1.000 minutos sem sofrer gols atuando junta, Guerrero teve noite apagada. Destaque da Copa América pelo Peru, o centroavante sofreu com a pouca criatividade do Inter e pegou poucas bolas em boas condições.
Nas que chegaram, porém, ele levou a pior na disputa com os zagueiros do Palmeiras e com Felipe Melo, que também vigiou o peruano de perto. Disperso, Guerrero perdeu várias bolas e mostrou até irritação consigo mesmo. Saiu muito vaiado no fim do jogo.

O JOGO DO PALMEIRAS

O Palmeiras não fugiu ao seu estilo: marcou com muita aplicação e vigor, praticamente anulando as jogadas de ataque coloradas, e quando roubou a bola, atacou de modo direto, com muita velocidade. Depois de abrir o placar na bola parada, em cabeçada de Zé Rafael, o time teve chances de criar mais nos contra-ataques, mas errou nas tomadas de decisão, especialmente de Deyverson. Também houve mais oportunidades em lances ensaiados de faltas e escanteios, mas Dudu e Luan erraram o alvo.

O JOGO DO INTER

O Internacional veio para a partida com um meio-campo bastante forte fisicamente, com três volantes centrais mais Patrick, volante de origem, aberto pela esquerda. O time gaúcho dificultou a criação do Palmeiras, mas faltou criatividade na hora de atacar. Quando adentrava a intermediária ofensiva, faltava o passe mais qualificado para Guerrero, que praticamente não pegou na bola em posições perigosas. A melhor chance na primeira etapa foi um chute de longe de Nico López, facilmente defendido por Weverton.

IRRITAÇÃO COM O ÁRBITRO

A atuação de Wilton Pereira Sampaio irritou os dois lados. Parando o jogo a todo momento a cada contato e conversando demais com os jogadores, o árbitro gerou reclamações tanto do Palmeiras como do Inter. Felipe Melo, por exemplo, se revoltou com o cartão amarelo que recebeu após dividida com Nico López. Os jogadores das duas equipes criavam rodinhas em volta do juiz a cada lance apitado, contribuindo para o clima quente da partida.

INTER SE ABRE NO SEGUNDO TEMPO

Perdendo no intervalo por 1 a 0, o técnico Odair Hellmann apostou em abrir o time para a segunda etapa: saiu o volante Nonato para a entrada do veterano D’Alessandro. Com um meio-campo mais leve e tentando sair mais para o jogo, o time colorado passou a ceder ainda mais espaços no contra-ataque. Dudu teve duas boas chances após carregar a bola, mas errou a pontaria tanto de esquerda quanto de direita. Atrás, o Palmeiras segurou bem a tentativa de pressão do Colorado.

WILLIAN VOLTA E É OVACIONADO

Mais de sete meses após se lesionar dando o passe do gol do título brasileiro do Palmeiras em novembro de 2018, o atacante Willian voltou a jogar uma partida oficial pelo clube. Ele entrou já aos 42 minutos do segundo tempo na vaga de Zé Rafael e foi ovacionado pela torcida no Allianz Parque.

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique e Lucas Lima (Raphael Veiga); Dudu, Zé Rafael (Willian) e Deyverson. T.: Luiz Felipe Scolari

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, Nonato (D’Alessandro), Patrick e Nico López (Rafael Sóbis); Paolo Guerrero (Guilherme Parede). T.: Odair Hellmann

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Público: 36.443
Renda: R$ 2.414.083,15
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)
Gol: Zé Rafael, aos 19min do primeiro tempo

Previous ArticleNext Article