Paraná Clube: Gustavinho acredita que vitória sobre o Athletico dá moral para a Série C

Pedro Melo

Gustavinho Paraná Clube Paranaense

O atacante Gustavinho acredita que uma vitória sobre o Athletico, na ida das quartas de final do Campeonato Paranaense, dará moral para o Paraná Clube na Série C do Brasileiro. O clássico acontece na segunda-feira (24), às 15h20, na Vila Capanema, uma semana antes da estreia na terceirona contra o Ypiranga-RS.

“Creio que nos dá moral. O Athletico, no papel, é a equipe principal do campeonato e a gente saindo vencedor chega com moral para a Série C. Entrar na Série C vencendo o mata-mata contra o Athletico vai nos dar muita moral com certeza”, declarou Gustavinho.

Após a suspensão do jogo pela liminar obtida pelo Athletico para não jogar em menos de 66 horas, a tendência é que o rival jogue com o elenco principal. Mesmo assim, Gustavinho não teme o adversário e ressaltou que a vitória enaltece o trabalho feito desde o início da temporada.

“É um grande clube. Não podemos temer isso, o Paraná Clube é uma equipe muito grande também, mas em momento diferente é claro. Desde o início temos algumas dificuldades, mas nunca deixamos de trabalhar. Vai ser muito bom enfrentar o Athletico e caso a gente vença a partida, vai enaltecer o trabalho”, disse o atacante.

GUSTAVINHO VIVE BOM MOMENTO PELO PARANÁ

Gustavinho chegou ao Paraná após se destacar pelo Joinville na campanha do título da Copa Santa Catarina. Desde o início da temporada, o atacante já marcou cinco gols com a camisa paranista e se tornou um dos principais nomes do elenco. “Eu saí de um clube onde fui artilheiro e campeão da Copa Santa Catarina e cheguei aqui engatando essa sequência de gol. Creio que é o melhor momento da carreira e continuar focado para ajudar o Paraná nos objetivos”, falou.

A manutenção dá boa fase pelo Paraná coincide com o momento que Gustavinho passa a jogar como centroavante, posição em que quer continuar jogando. “Eu prefiro ficar mais perto do gol, mas estou à disposição para fazer qualquer função que for designada. Hoje fico mais próximo do gol, de finalizações, e a minha preferência é continuar assim”, afirmou.

“Nós temos grandes atacantes também que desempenharam bons papeis como camisa 9 nos clubes que passaram. Fui contratado para a posição de beirada, mas já tinha jogado nessa função. Não sou o típico camisa 9, mas faço a função com mais movimentação. Consegui me encontrar, onde saíram alguns gols e é assim que pretendo continuar com a camisa do Paraná”, acrescentou.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="765582" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]