Paulo Baier pendura as chuteiras no clube de origem

Redação


O segundo maior artilheiro do Brasileirão na era dos pontos corridos, com 106 gols (233 no total da carreira), o meia Paulo Baier se despediu dos campos de futebol na tarde de domingo (5), aos 41 anos, no empate por 0 a 0 do São Luiz, seu clube de origem, contra o União Frederiquense pela Segundona do Gauchão, em partida disputada no Estádio 19 de outubro, que parou para homenagear Baier.

O clube escreveu em seu site oficial, um longo texto sobre Baier:  “Paulo César, que por 4 anos dependeu de caronas para poder treinar. Morou nos humildes alojamentos do São Luiz, ganhou o país. No centro do Brasil foi chamado de maestro, garçom e mito. Jogou nos maiores clubes, frequentou os melhores vestiários e conviveu com craques.

Mesmo com mais de 20 anos de atuação no futebol, tendo o seu nome aclamado por torcedores de grandes clubes, o agora Paulo Baier sempre foi reconhecido por sua humildade, facilmente comprovada quando periodicamente é visto de chinelos e bermudas andando pelas ruas e pelo interior de Ijuí. São atitudes como esta que separam os bons jogadores dos mitos. É a simplicidade, a humildade que fazem dos jogadores atletas especiais e exemplos para a nova geração”, informou a nota.

Paulo Baier, ainda não confirmou, mas deve iniciar em breve sua carreira de treinador de futebol.

 

Previous ArticleNext Article