Pedalar na mão certa é cinco vezes mais seguro, diz estudo

Redação


Um estudo feito para o Bicycling Street Smarts, um manual de ciclismo seguro usado pelo Detran-PR, afirma que uma bicicleta que trafega pela contramão tem cinco vezes mais chances de se envolver em acidentes em relação a quem transita no sentido dos carros.

A pesquisa, feita desde 2000 e atualizada anualmente, concluiu que é mais rápido, além de mais seguro, pedalar na mão correta. O Detran-PR divulgou o número como parte da campanha “31 dias para mudar o trânsito” e para o movimento Maio Amarelo, trabalho de conscientização sobre segurança no trânsito.

Segundo o estudo, o principal perigo de pedalar não está apenas no tráfego em linha reta, mas nas curvas, quando os carros fora do campo de visão do ciclista podem surgir de surpresa sem dar tempo de reação.

A recomendação de dirigir no fluxo do carros é apenas uma das indicações do Detran. “Não andar na contra-mão, usar iluminação, não pedalar muito perto do canto da via e na calçada, vestir alguma roupa chamativa, sinalizar e usar sempre o espelho antes de se aproximar de um cruzamento, são comportamentos fundamentais para sua segurança”, aconselha o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

Baseado em números das polícias rodoviárias Federal e Estadual, da PM e prefeituras, o Detran divulgou na semana passada uma estimativa que aponta que 74 ciclistas morreram por ano no Paraná, em média, de 2009 e 2014.

Foram 2119 feridos em 2555 acidentes no período, segundo a estimativa. Em Curitiba, 19 ciclistas morreram no ano passado. Foram oito óbitos a mais do que em 2014 e seis acima da média dos últimos três anos.

(Metro Jornal Curitiba)

Previous ArticleNext Article