Pivô em briga no clássico, Weverton diz que respondeu “xingamentos”

Redação


O goleiro Weverton, pivô de uma briga generalizada entre os atletas do Paraná e do Atlético no final do clássico entre as duas equipes, terminado empatado e com o Tricolor eliminado, disse em entrevista coletiva que não havia “desrespeitado a instituição Paraná” e sua reação junto aos torcedores – com as mãos no ouvido – foi uma reação aos xingamentos que ouviu durante a partida. Na briga, Weverton, Nathan, Douglas Coutinho estiveram entre os principais envolvidos e o vídeo da confusão deve ajudar a arbitragem em seu relatório.

“Jamais faltei com respeito, fiz um gesto comum, coloquei a mão no ouvido, acabei levando soco, chutes e arranhões”, afirmou. Segundo ele, o torcedor brasileiro tem o hábito de xingar muito, ofender durante o jogo e no final decidiu pelo gesto. “Queria que eles continuassem a xingar e então fiz o gesto (mão no ouvido)”, comentou.

O técnico Wagner Lopes disse que lamentava as brigas ocorridas e que existem gestos que ofendem a torcida. “Existem maneiras de mostrar a alegria, mas tem muitos gestos que ofendem a torcida”, comentou.

Para Bruno Pivetti, os espíritos ficam “mais aflorados após uma classificação ou eliminação”. “Vimos uma situação muito ruim, mas a briga foi dos dois lados, vou analisar o jogo que é mais a minha praia”, afirmou.

Com o empate por 0 a 0 o Paraná acabou eliminado do Estadual, mas tenta reverter isso na Justiça, para que tenha o direito de enfrentar o Rio Branco, oitavo colocado da primeira fase, conforme determina o regulamento.

ParanaxCAP2 ParanaxCAP4

 

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="424045" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]