Poliana Okimoto conquista bronze na maratona aquática

Redação


Pela terceira vez na história dos Jogos Olímpicos, a maratona aquática foi disputada nas águas de Copacabana nesta segunda-feira (15) no Rio 2016. Após uma disputa braçada a braçada até o fim, a brasileira Poliana Okimoto levou o bronze para o Brasil. A atleta terminou a prova na quarta colocação, mas a francesa Aurelie Muller, que tinha batido em segundo, foi desclassificada por manobra ilegal.

Segundo a organização da prova, a atleta francesa inibiu a chegada da italiana Rachele Bruni, com quem disputava a segunda colocação. Assim, o pódio passou a ser formado por Sharon Van Rouwendall, dos Países Baixos, que levou o ouro, além da italiana e da brasileira.

A brasileira nadou os 10km com tempo de 1h56min51seg e afastou o fantasma dos Jogos Olímpicos de Londres, quando abandonou a prova com hipotermia. O ouro de Sharon Van Rouwendall foi conquistado com 1h56min32seg e Rachele Bruni garantiu a prata com tempo de 1h56min49seg.

“Depois de Londres, não imaginava que estaria nadando ainda melhor hoje. Mais uma vez, me chamaram de velha, mais uma vez me desacreditaram, mais uma vez eu dei a volta por cima”, afirmou Poliana na saída da prova.

A maratonista esteve entre as líderes durante toda a prova, mas não conseguiu acompanhar o ritmo atleta dos Países Baixos, que se desgarrou do grupo na metade da prova e terminou sozinha à frente do segundo pelotão. Com a mudança, Ana Marcela Cunha, a outra brasileira da prova, terminou a maratona na décima colocação, com o tempo de 1h57min29seg.

Águas calmas

A baiana Ana Marcela Cunha, de 24 anos e campeã mundial em 2015 na prova de 25 km, ficou em décimo, entre as 26 competidoras que entraram nas águas calmas e esverdeadas de Copacabana na manhã desta segunda-feira. Ela se prejudicou por não ter conseguido se alimentar durante a prova.

Durante as quatro voltas da maratona aquática, as nadadoras podem se alimentar a cada volta, pegando uma alimentação especial a partir de uma plataforma. Ana Marcela teve sua alimentação derrubada por duas vezes ao tentar pegar o alimento.

A melhor colocação anterior de uma brasileira em esportes aquáticos havia sido de Joanna Maranhão, que conquistou o quinto lugar nos 400m medley em Atenas (2004).

Pela primeira vez, a maratona foi disputada como uma categoria independente. Antes, a prova era uma categoria da natação.

(Com informações de Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil)

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="379001" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]