Polícia Civil identifica torcedores das organizadas que quebraram ônibus e terminais

William Bittar - CBN Curitiba


A Polícia Civil identificou dezessete pessoas suspeitas de participar do vandalismo entre torcedores do Coritiba e do Athletico, no dia 30 de janeiro, após o clássico realizado na Arena da Baixada, pela quarta rodada do Campeonato Paranaense.

Imagens de câmeras de segurança da Urbs, empresa que gerencia o transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana, flagraram as agressões e também os atos de vandalismo no Terminal do Pinheirinho e também dentro dos ônibus.

O delegado da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe) Clóvis Galvão, explica que foram identificados integrantes das torcidas organizadas do Athletico e do Coritiba e eles devem ser responsabilizados.

“Além de eles serem responsabilizados criminalmente, a Prefeitura também vai ser ressarcida sobre o prejuízo causado ao município. Dentro de 15 dias devemos concluir o inquérito e pedir a prisão desse pessoal e fazer justiça”, afirma o delegado da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe) Clóvis Galvão.

Segundo um levantamento da Prefeitura de Curitiba, sete terminais e quatro ônibus foram alvo dos vândalos e o prejuízo passa dos R$ 38 mil. O delegado também mandou um recado para as pessoas que praticam esses atos de vandalismo pela cidade antes e após os jogos na capital.

“Com a criação da Demafe acabou a impunidade no futebol no Paraná. Eles podem, inclusive, praticar o delito, mas com certeza eles vão para a cadeia. Ninguém está aqui para passar a mão na cabeça de torcedor que não entenda o futebol como diversão”, diz o delegado.

Clóvis Galvão também falou sobre a parceria que a Polícia Civil tem com os clubes da capital para facilitar a identificação de torcedores que praticam atos de vandalismo e violência.

“Nós não podemos reclamar dos clubes paranaenses. Caso o Athletico, que já colocou sistema de biometria, sempre que precisamos de colaboração do Coritiba e do Paraná Clube eles colocam o departamento jurídico para nos auxiliar”, comenta.

A Urbs se manifestou e disse que vai entrar com uma ação contra os clubes e as torcidas organizadas para conseguir o ressarcimento dos valores gastos para consertar os ônibus e o terminal do transporte coletivo que foi danificado pelos vândalos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="594479" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]