Rafinha lamenta situação com o Coritiba: "estou procurando os meus direitos"

O ex-jogador explicou toda a situação e comentou o fato de o caso voltar a tona logo após a homenagem recebida da torcida

Gabriel Sawaf - 01 de junho de 2022, 20:04

Divulgação/Coritiba
Divulgação/Coritiba

O ex-jogador Rafinha falou pela primeira vez após a notícia de que sua defesa solicitou que o problema envolvendo o argentino Cerutti não “fure a fila” dos credores para o Coxa se livrar do Transfer Ban da FIFA. Em entrevista ao programa Papo de Craque, da Rádio Transamérica Curitiba, nesta quarta-feira (01º), Rafinha afirmou estar tranquilo com a situação e disse que está apenas atrás de seus direitos.

“Estou com a consciência tranquila, sei dos meus direitos e não é nada mais justo que eu receber o que eu tenho de direito”, pontuou.

O ídolo alviverde também aproveitou para deixar claro que sua ação contra o clube não é para causar alguma polêmica ou confrontar alguma gestão, mas apenas para receber o que o Coxa lhe desde 2013.

“Eu não estou aqui para causar polêmica, não estou aqui para estar contra ninguém, independente da gestão, diretoria, quem quer esteja a frente do clube. Eu sou estou procurando os meus direitos”, destacou.

A ação é movida por conta da primeira passagem de Rafinha no Coritiba, que se encerrou na metade de 2013. Na ocasião, o jogador foi atuar no futebol árabe e o clube prometeu pagar o que lhe faltava com o dinheiro da transação, o que não ocorreu.

“A promessa que eu tive é que assim que o clube da Arábia depositasse as duas parcelas para o clube eu receberia integral, só precisava esperar o time que eu fui acertar com o Coritiba para que eu pudesse receber. Não foi o que aconteceu, o clube da Arábia quitou tudo com o Coxa e eu não recebi”, explicou.

Rafinha também lamentou a coincidência de que a solicitação da sua defesa tenha sido dias após ele receber uma homenagem da torcida alviverde na partida contra o Botafogo, no último domingo (29), e afirmou que deseja sempre estar próximo do Coxa neste período pós-aposentadoria. 

“Infelizmente acabou saindo essa notícia ontem (31), depois do momento que eu vivi, que algum tempo eu já esperava, junto com o torcedor. O meu pensamento sempre foi esse de, assim que terminasse minha carreira, de estar sempre nos jogos e torcer sempre para o clube que a gente aprendeu a gostar”, ressaltou.

AGENDA DO CORITIBA

  • Ceará - sábado (04/06), às 19h, na Arena Castelão
  • São Paulo - quinta-feira (08/06), às 20h, no Couto Pereira
  • Palmeiras - domingo (12/06), às 18h, no Couto Pereira
  • Red Bull Bragantino - quarta-feira (15/06), às 19h, no Nabi Abi Chedid