Relembre a história do ex-jogador e técnico paranaense Caio Júnior

Fernando Garcel


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Com BandNews FM Curitiba

Luiz Carlos Saroli, mais conhecido como Caio Júnior, nasceu no dia 8 de março de 1965. Natural de Cascavel, na região Oeste do Paraná, era radicado em Curitiba. Ele começou a carreira no futebol nos anos 80, jogando como atacante. Caio Júnior foi lançado profissionalmente pelo Grêmio, em 1985. O Olímpico, em Porto Alegre, foi a casa do ex-jogador por um período importante da vida dele.

Por mais de sete anos Caio Júnior defendeu as cores do tricolor gaúcho, nas categorias de base e no profissional. As boas atuações na equipe renderam a ele a primeira oportunidade de atuar fora do país. Em 1987 ele deixava o Grêmio e fazia as malas para Portugal, onde jogou por oito anos.

 

Retornou ao Brasil em 1994 para defender o Internacional, antes de seguir para mais uma temporada na Europa. Entre 1996 e 1999 defendeu equipes de menor expressão do futebol gaúcho, paranaense e paulista. Formado em Educação Física, Caio Júnior começou a carreira como treinador logo depois de “pendurar as chuteiras”, no ano 2000. Foi convidado a comandar o Paraná Clube, equipe pela qual já havia sido campeão como jogador, três anos antes.

Em 2005 a carreira de Caio Júnior como técnico ganhou projeção nacional. Ele comandava o pequeno Cianorte, que conseguiu golear por 3 a 0 o estrelado Corinthians, de Carlitos Tévez e companhia, pela Copa do Brasil. O técnico retornou ao Paraná Clube em 2006 e fez história com o tricolor. Ao empatar com o São Paulo, campeão brasileiro daquele ano, o Paraná conseguiu a inédita classificação para a Copa Libertadores.

A excelente campanha com o Paraná rendeu a primeira grande oportunidade a Caio Júnior. Em 2007 ele foi o treinador do Palmeiras. No ano seguinte treinou Goiás e Flamengo. O ano de 2009 marcou a primeira passagem de Caio Júnior como técnico fora do Brasil, quando comandou o Vissel Kobe, do Japão. Na sequência ele deu início a uma vitoriosa passagem pelo Mundo Árabe.

De 2009 a 2011, o treinador comandou o Al-Gharafa, do Catar. Caio Junior também foi treinador de duas equipes dos Emirados Árabes, o Al-Jazira, de Abu Dhabi, e Al-Shabab, de Dubai. O técnico foi campeão com todos eles e afastou o estigma de ser um profissional com poucos títulos.

O primeiro título de expressão no Brasil veio com o Vitória, em 2013. Naquele ano Caio Júnior levou o rubro-negro baiano a levantar a taça do campeonato estadual.

Na sequência ele treinou pela primeira vez uma equipe de Santa Catarina. O Criciúma foi a última de Caio Júnior antes de mais uma passagem pelo Mundo Árabe, que durou quase três anos. Contratado pela Chapecoense no mês de junho, o técnico considerava a passagem pelo “Verdão do Oeste” como o recomeço da carreira no Brasil.

O treinador fez história ao levar pela primeira vez um time catarinense para uma final de uma competição continental. Ele foi uma das vítimas da queda de um avião que levava a delegação da Chapecoense de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para Medelín, na Colômbia. Mais de 70 pessoas – entre a delegação da equipe, jornalistas, tripulação e convidados – morreram nesta que é a maior tragédia do futebol e do jornalismo brasileiro. Caio Júnior morreu aos 51 anos e deixa, em Curitiba, uma esposa e dois filhos.

Previous ArticleNext Article