Rogério Caboclo é afastado da CBF por 30 dias após denúncia de assédio

Rogério Caboclo foi afastado da presidência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) neste domingo (6). A determinaçã..

Vinicius Cordeiro - 06 de junho de 2021, 18:09

(Lucas Figueiredo/CBF)
(Lucas Figueiredo/CBF)

Rogério Caboclo foi afastado da presidência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) neste domingo (6). A determinação foi do Conselho de Ética da entidade após a denúncia de assédio sexual e moral contra uma funcionária. Nesse período de 30 dias, quem assume a função é o vice Antônio Carlos Nunes, conhecido como Coronel Nunes.

O afastamento acontece horas depois que foi noticiada a promessa de Caboclo ao governo federal. Segundo o jornalista André Rizek, do GE, Caboclo assegurou que o técnico Tite seria demitido na próxima terça-feira, após o jogo contra o Paraguai pelas Eliminatórias. Renato Gaúcho, alinhado com o presidente Jair Bolsonaro, seria o escolhido para assumir o comando da seleção brasileira e responsável pela convocação para a Copa América.

Contudo, a situação de Tite fica indefinida. Vale lembrar que os jogadores e a comissão técnica são contra a realização da Copa América. No entanto, tanto Tite quanto o capitão Casemiro prometeram se pronunciar abertamente após as duas rodadas das Eliminatórias.

Além disso, a Conmebol terá que encontrar um novo dirigente para encabeçar a organização da Copa América. Já Rogério Caboclo se concentra na defesa para apresentar contra a denúncia de assédio.

ROGÉRIO CABOCLO E A PRESSÃO NO COMANDO DA CBF

Caboclo estava isolado na CBF. A decisão de trazer a Copa América no Brasil não foi discutida com ninguém da entidade, por exemplo. O único a dar respaldo foi o presidente Jair Bolsonaro, que viu uma oportunidade para melhorar a imagem politicamente com o possível título da seleção.

Por outro lado, nenhum dos oito vices da CBF foi escutado. Além disso, a maioria dos diretores já sabia da conduta de Caboclo há dois meses. Nesse período, a convivência com o dirigente foi cada vez mais difícil para os funcionários da Confederação devido à postura agressiva do mandatário.

O clima entre Caboclo e os jogadores da seleção explodiu nesta semana. O anúncio de que o Brasil sediaria a Copa América gerou mal estar entre os atletas e a comissão técnica.

Primeiro porque o presidente da CBF visitou a Granja Comary, centro de treinamentos da equipe, e nem mencionou o assunto. Os atletas sentiram a pressão das críticas nas redes sociais após o país topar aceitar o torneio em meio à pandemia, sendo que a Argentina recusou a Copa pelo momento crítico da Covid-19. Com a polarização no país, jogadores e comissão não queriam politizar a seleção e nem se sentirem massa de manobra.

Os líderes da seleção convocaram Rogério Caboclo para uma reunião, na qual colocaram a postura. Neymar, Casemiro, Thiago Silva, Marquinhos, Alisson e Danilo se posicionaram contra a Copa América no Brasil, mas o encontro elevou a tensão com uma resposta ríspida de Caboclo. Para completar, Caboclo foi ao vestiário antes do jogo contra o Equador e discursou aos atletas, que ficaram constrangidos com a cena. Isso tornou a relação ainda mais insustentável.

Até os patrocinadores da seleção brasileira ficaram insatisfeitos por não terem sido ao menos notificados da decisão de trazer a Copa América ao Brasil.