Rubro-Negro se desculpa com a torcida e critica o Coxa em carta aberta

Redação


O Atlético divulgou nesta tarde de domingo (2), uma carta aberta ao seu torcedor. Assinada pelo Conselho Deliberativo e pelo Administrativo, a diretoria também faz crítica ao Coritiba e aos seus dirigentes, por não terem liberado o Couto Pereira para a partida contra o Santos pela Libertadores, sob a alegação de que o gramado estaria sob manutenção.

“O Clube Atlético Paranaense, por meio de seus Conselhos Administrativo e Deliberativo, vem apresentar sincero pedido de desculpas a todos os nossos associados e torcedores, especialmente para aqueles que eventualmente não terão a oportunidade de presenciar a partida do CAP na Vila Capanema, pela Conmebol Libertadores Bridgestone.

Igualmente, manifestamos que compreendemos a importância desta partida para a história do nosso Clube, esclarecendo que a Administração jamais teria cogitado jogar uma partida tão importante fora da nossa casa se não houvesse a existência de contrato assinado que estabelece a cessão do estádio Couto Pereira, apto a comportar nossa grandiosa torcida. Lamentamos ter acreditado na palavra, na seriedade e no compromisso de pessoas que ocupam cargos de relevo e que, de forma impensada e, de certo modo, até amadora, tomam infaustas decisões que somente prejudicam o fortalecimento do futebol paranaense. Infelizmente, ainda persiste a paixão negativa que toma conta de pessoas que habitam o futebol e diminuem a beleza do esporte, ignorando que a essência da competitividade deve ser resguardada tão somente dentro das quatro linhas.

Esta Gestão confiou em acordo firmado e se pautou na premissa de ajuda recíproca entre Atlético e Coritiba Foot Ball Club, o qual inequivocamente disciplinava, por prazo indeterminado, o regramento geral para múltiplas cessões temporárias entre si de seus estádios, sempre que houvesse necessidade.

E foi de forma deliberada que os gestores do “coirmão” pós-fabricaram argumentos para descumprir o que assinaram e com o que se comprometeram.  Isso porque a definição da tabela da Libertadores só ocorreu no dia 16 de junho, quando imediatamente o Atlético contatou o Coritiba, que prontamente sinalizou que cumpriria o contrato. Pediu um valor maior do que estava no contrato. O Atlético concordou. No dia 19 de junho, já com o valor ampliado, o Atlético oficializou o pedido de cessão.

 No dia 23, o Coritiba confirmou a cessão, como noticiaram todos os veículos de imprensa. No entanto, no mesmo dia, pressionado pela sua torcida, mudou de opinião e criou um problema no gramado para justificar o descumprimento do contrato, somente quando então iniciou o processo de implementação da grama de inverno no Couto Pereira

 Para reforçar o teatro argumentativo que impedia a utilização do seu estádio, o Coritiba sacrificou sua própria torcida, locando (apenas no dia 26/06) o estádio da Vila Capanema para jogar no dia 02/07 e, de maneira inconsequente, criou sobre si um passivo indenizatório em favor do CAP. Ainda, com a postura de rompimento, tornou extremamente difícil qualquer relacionamento Institucional entre as Agremiações.

Esse agir do Coritiba foi um desrespeito com nossa Instituição, com nossos torcedores e com a boa-fé contratualmente assinada. Tal postura só encontra justificativa no habitual inconformismo com o inquestionável crescimento exponencial do Atlético, tanto no cenário nacional como internacional, fruto de um projeto sério, audacioso e que sempre contou com o incondicional apoio de sua apaixonada torcida.

De outro lado, cabe aqui agradecer e enaltecer a postura do Paraná Clube, de seus dirigentes e de sua torcida, que mostraram grandiosidade ao ceder seu estádio para a realização desta importante partida do Atlético – um representante do futebol Paranaense – em sua 5ª participação na Conmebol Libertadores.

Devemos também agradecer o empenho e a compreensão da CBF e da Conmebol no trato da questão e por autorizar a realização desta partida em nossa cidade.

Por derradeiro, é dentro deste cenário que vimos aqui assegurar nosso compromisso com toda a Nação Atleticana de que não haverá mais nenhum evento na Arena da Baixada que possa conflitar com a agenda de partidas importantes, emblemáticas e estratégicas em competições que o Clube Atlético Paranaense dispute”.

CONSELHO DELIBERATIVO

CONSELHO ADMINISTRATIVO

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="440459" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]