São Paulo leva gol no fim e empata com o Fluminense no Rio

O São Paulo não suportou a pressão no Maracanã e empatou com o Fluminense por 1 a 1. Neste domingo (29), a equipe vencia..

Folhapress - 29 de abril de 2018, 18:53

Mailson Santana/FFC
Mailson Santana/FFC

O São Paulo não suportou a pressão no Maracanã e empatou com o Fluminense por 1 a 1. Neste domingo (29), a equipe vencia por 1 a 0 até os 44min do segundo tempo, quando Pedro subiu mais que Arboleda e deixou tudo igual.

A novidade do técnico Diego Aguirre foi a volta do meia-atacante Diego Souza ao time titular. A última vez que ele começou entre os 11 havia sido em 17 de março, contra o São Caetano.

O treinador uruguaio fez cinco trocas na equipe com relação ao empate com o Ceará: Bruno Alves, Régis, Jucilei e Nenê, além de Diego Souza, voltaram ao grupo.

O duelo no Maracanã demorou a engrenar. Aos poucos, o São Paulo foi se soltando e comandando as ações ofensivas. No esquema com três zagueiros, quatro jogadores pelo meio e os outros três à frente, a equipe não foi tecnicamente perfeita, mas mostrou obediência tática.

Explorando bastante o lado esquerdo, o time do Morumbi criou algumas oportunidades. Nenê, Régis e Diego Souza apareceram bem para tentar o gol, que só saiu após muita insistência.

Aos 23min, foram três tentativas até a bola finalmente chegar ao fundo da rede. Depois de cobrança de escanteio de Nenê, Éder Militão cabeceou no travessão, Diego Souza pegou o rebote com o pé direito e também mandou no travessão, até que Militão não desperdiçou a terceira chance e cabeceou firme para o gol.

Com a vantagem, o São Paulo recuou um pouco, dando campo para o tricolor carioca, mas se manteve seguro. A melhor chegada do clube mandante foi aos 42min, em cabeçada de Marcos Júnior, que Sidão pegou tranquilamente.

O Fluminense até melhorou no fim do primeiro tempo, pressionando o adversário pelos lados para tentar o empate. Seguro e sem sofrer, o time de Aguirre impediu as investidas com qualidade.

A segunda etapa foi bem mais agitada e teve, por exemplo, quatro cartões amarelos em 16 minutos. A principal crítica ao São Paulo nos últimos jogos era a queda de rendimento e falta de produção no segundo tempo. Desta vez, a história foi outra.

O clube paulista desceu com frequência ao ataque, apesar dos erros de passe, e precisou recompor com muita velocidade, já que Abel Braga tentou deixar o Flu mais dinâmico.

O terço final do confronto foi de muita emoção, com o tricolor carioca melhor e pressionando. As duas equipes estavam muito abertas e colocando correria.

Primeiro, aos 32min, Léo acertou a trave direita de Sidão. Três minutos depois, foi a vez de Everton mandar a bola no travessão de Júlio César.

Logo na sequência, em contra-ataque do Fluminense, Robinho chutou rasteiro e a bola bateu na trave esquerda de Sidão.

Diante de tamanha insistência do mandante, o São Paulo não conseguiu segurar. Aos 44min, Robinho cruzou pelo lado direito e Pedro subiu mais que Arboleda, cabeceando no ângulo para empatar o jogo.