Seleção brasileira completa 31 jogos sem perder nas Eliminatórias e iguala recorde

Em jogo com muito auxílio do VAR, a seleção brasileira empatou com o Equador em 1 a 1 e igualou o recorde de invencibilidade nas Eliminatórias

Pedro Melo - 27 de janeiro de 2022, 20:12

(Lucas Figueiredo/CBF)
(Lucas Figueiredo/CBF)

Em um jogo com muito auxílio do VAR, a seleção brasileira empatou com o Equador por 1 a 1, chegou a 31 jogos sem perder nas Eliminatórias para a Copa do Mundo e igualou o próprio recorde de invencibilidade. Casemiro abriu o placar para o Brasil e Torres empatou.

Desde que perdeu para o Chile por 2 a 0, em outubro de 2015, o Brasil não perdeu mais nas Eliminatórias. São 24 vitórias e oito empates desde então, sendo duas vitórias e três empates com Dunga e 22 vitórias e cinco empates com Tite.

O recorde de invencibilidade nas Eliminatórias para a Copa do Mundo já era da seleção brasileira. Entre 1953 e 1994, o Brasil ficou 31 jogos sem perder. O fim da sequência foi na derrota por 2 a 0 para a Bolívia, em La Paz.

Na classificação, o Brasil lidera de maneira isolada, com 36 pontos, campanha de 11 vitórias e três empates. A próxima partida é contra o Paraguai, na terça-feira (01º), às 21h30, no Mineirão, em Belo Horizonte.

SELEÇÃO BRASILEIRA EMPATA EM JOGO COM MUITO AUXÍLIO DO VAR

Precisando da vitória e com o apoio da torcida, o Equador começou a partida no ataque e quase abriu o placar com apenas um minuto. Estupiñán cobrou falta no meio da área, Valencia apareceu livre de marcação e cabeceou perto da trave.

A seleção brasileira se segurou do susto inicial e precisou de apenas uma chance para abrir o placar. Aos cinco, Philippe Coutinho pegou a sobra e cruzou na pequena área. Matheus Cunha cabeceou para baixo, Casemiro dividiu com o goleiro Domínguez e empurrou para o fundo das redes.

Os minutos seguintes do primeiro tempo foram de muita confusão dos dois lados. Aos 14, Domínguez acertou Matheus Cunha no pescoço e o árbitro expulsou o goleiro do Equador após olhar no VAR. E aos 20, Emerson Royal fez falta em Estrada, recebeu o segundo cartão amarelo e também foi expulso.

O Brasil, que chegou a ficar com um jogador a menos, quase ficou com um a menos quando o árbitro expulsou o goleiro Alisson. Porém, ele viu o lance novamente no vídeo e só deu cartão amarelo para o camisa 1.

No segundo tempo, o Equador foi todo para o ataque em busca do gol de empate e a seleção brasileira apostou nas jogadas de contra-ataque. Logo aos três minutos, Estrada empatou a partida, mas o árbitro marcou a saída de bola no momento do cruzamento.

De tanto insistir, a seleção equatoriana chegou ao empate aos 29 minutos. Ayrton Preciado cobrou escanteio fechado na área, Torres subiu mais que Casemiro e cabeceou no canto esquerdo para deixar tudo igual.

Nos acréscimos, o VAR mais uma vez foi acionado em um lance de expulsão de Alisson. O árbitro deu o cartão vermelho para o goleiro da seleção brasileira em um lance de pênalti marcado, mas voltou atrás após olhar o lance no vídeo.

FICHA TÉCNICA – EQUADOR 1X1 BRASIL

Equador: Domínguez; Ángelo Preciado (Caicedo), Torres, Hincapié e Estupiñán; Franco (Galíndez), Caicedo (Méndez) e Gruezo (Ayrton Preciado); Estrada (Carcelén), Valencia e Plata. Técnico: Gustavo Alfaro.

Brasil: Alisson; Emerson Royal, Éder Militão, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Fred e Philippe Coutinho (Daniel Alves); Vinicius Júnior (Gabriel Jesus), Matheus Cunha (Gabigol) e Raphinha (Antony). Técnico: Tite.

Gols: Casemiro (BRA), aos 5’ do primeiro tempo, e Torres (EQU), aos 29’ do segundo tempo.

Cartões amarelos: Alisson, Raphinha e Éder Militão (BRA); Valencia e Caicedo (EQU).

Cartões vermelhos: Domínguez (EQU); Emerson Royal (BRA).