Seleção: Tite será demitido para Renato Gaúcho assumir, promete Caboclo a Bolsonaro

Vinicius Cordeiro

tite renato gaúcho técnico seleção brasileira bolsonaro caboclo

O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rogério Caboclo, prometeu ao presidente Jair Bolsonaro que o técnico Tite será demitido para que Renato Gaúcho seja o novo treinador da seleção brasileira. A informação é do jornalista André Rizek, do GE.

Segundo a publicação, Caboclo passará a mensagem de que não aceita insubordinação. Tanto Tite quanto Casemiro, capitão da seleção, deixaram clara a insatisfação da comissão técnica e do grupo sobre a realização da Copa América no Brasil. Desgastes dos relacionamentos internos sustentam o desconforto dos atletas e funcionários.

No entanto, existe a possibilidade do presidente da CBF ser afastado da entidade devido à denúncia de assédio sexual e moral de uma funcionária da entidade. Desde que o caso veio à tona, Caboclo está isolado e sofre pressão interna para renunciar ao cargo mesmo negando qualquer tipo de desvio de conduta. Resta saber se ele será afastado do cargo até terça.

Vale lembrar que Tite e os jogadores da seleção prometeram se pronunciam abertamente contra a realização da Copa América após o jogo contra o Paraguai. O duelo das Eliminatórias acontece nesta terça-feira (8), em Assunção.

Bolsonaro e Caboclo juntos. (Lucas Figueiredo/CBF)

TITE PODE SER DEMITIDO DA SELEÇÃO BRASILEIRA POR ASPECTO POLÍTICO

O Brasil é o líder invicto das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. São cinco vitórias em cinco jogos, o que coloca a seleção brasileira com quatro pontos de vantagem sobre a Argentina. São 14 gols marcados e apenas 2 sofridos, o que coloca a campanha na melhor dos últimos 40 anos.

No entanto, a opção de Rogério Caboclo em trazer a Copa América para o Brasil potencializou a crise interna na CBF.

Tite e seus auxiliares ficaram insatisfeitos com o vazamento de áudio entre Caboclo e Edu Gaspar, então diretor da CBF. A conversa, de 2018, mostra o presidente da CBF com a intenção de reformular a comissão técnica, o que significaria tirar Cléber Xavier, braço direito do comandante, e Matheus Bachi, filho de Tite. Obviamente, isso não agradou.

Tanto a comissão técnica quanto os jogadores não gostaram do processo de como foi feito. Rogério Caboclo esteve presente na Granja Comary e encontrou todos, mas nem mencionou o assunto. Contudo, Caboclo não pediu respaldo nem mesmo dos oito vice-presidentes da CBF. O único que procurou foi o presidente Jair Bolsonaro, que vê uma oportunidade de melhorar a imagem politicamente com a Copa América. A conquista do título é mirada pelo governo federal, que se irritou com as manifestações de Tite e Casemiro.

No entanto, a administração chefiada por Bolsonaro acredita que a troca do treinador e a convocação de um novo grupo de jogadores pode superar essa fase de contestação. Vale lembrar que Tite tem sido alvo constante dos bolsonaristas nos últimos dias.

RENATO GAÚCHO É ALINHADO COM JAIR BOLSONARO

Além de apoiador do presidente Jair Bolsonaro, o ex-técnico do Grêmio já agiu como consultor do presidente da República sobre a volta do futebol durante a pandemia.

Os dois se aproximaram desde a eleição de 2018 e mantém amizade nesses anos, conversando quase semanalmente.

Renato Gaúcho foi demitido do Grêmio na metade de abril, após o time gaúcho ter sido eliminado precocemente da Libertadores. Desde então, ele está livre no mercado e recusou proposta para assumir o Corinthians.

Maior ídolo da história do clube, Renato Gaúcho liderou o Grêmio nas conquistas da Copa do Brasil em 2016, a Libertadores 2017 e a Recopa Sul-Americana 2018. No âmbito regional, teve absoluto domínio e foi tricampeão do Gauchão (2018, 2019 e 2020).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="768607" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]