Retorno para a Série A impulsiona Coritiba pelo título do Paranaense

Jorge de Sousa

Eduardo Barroca - Coritiba - Campeonato Paranaense - Série A

2017 foi o ano do último título do Campeonato Paranaense para o Coritiba. Mas nesse mesmo ano a equipe alviverde amargou novo rebaixamento para a Série B. O saldo dos dois anos fora da elite também repercutiu no estadual, com o rival Athletico Paranaense se sagrando bicampeão.

Em seu retorno a Série A, os investimentos no elenco já são sentidos e nomes de peso como Rhodolfo, Sassá, Renê Júnior e Gabriel chegam ao Alto da Glória. A responsabilidade de comandar esse time reformulado será de Eduardo Barroca, que em sua curta carreira se notabilizou por buscar um futebol vistosos em suas equipes.

Barroca conseguiu um bom início de trabalho no Botafogo, com os pontos conquistados no primeiro turno do último Brasileiro tendo salvo a equipe do rebaixamento. No Atlético Goianiense, o técnico manteve a equipe no G-4 e junto ao Coritiba voltou para a Série A.

TIME BASE

Barroca já confirmou que as primeiras rodadas do Paranaense terão a presença de jovens em campo pelo Coritiba. Nomes como Yan Gomes e Igor Jesus vão tentar mostrar futebol para brigarem por vaga na equipe principal.

Diferente da equipe mais pragmática de Jorginho, Barroca deve apostar em um estilo mais solto, com Renê Júnior tendo grande participação na armação do jogo junto de Rafinha. Gabriel, Robson e Sassá fecham o ataque, que não deve deixar o torcedor com saudades de Rodrigão.

Com isso, a equipe que Eduardo Barroca deve colocar em campo no Paranaense deve ter: Wilson, Lucas Ramon, Sabino e Rhodolfo e William Matheus; Matheus Sales, Renê Júnior, Rafinha, Gabriel e Róbson; Sassá.

PALAVRA DO TÉCNICO

Eduardo Barroca - Coritiba - Campeonato Paranaense - Série A
Eduardo Barroca tenta pela primeira finalizar uma temporada como técnico (Reprodução/Twitter Coritiba)

1- Qual sua expectativa em iniciar um trabalho desde o início pela primeira vez na carreira?

Sempre pautei minha vida profissional em processos coerentes. Trabalhei em categorias de base, em clubes com características diferentes. Quando acabou o ano recebi o contato do Coritiba, não pensei duas vezes em aceitar esse novo desafio que é de iniciar o trabalho, com responsabilidade em uma equipe dessa grandeza. Me sinto motivado, sei da responsabilidade de suceder um trabalho vitorioso, com um nível de exigência, mas me sinto muito preparado para corresponder a expectativa não só da diretoria, mas também dos torcedores.

2- Após o bicampeonato do Athletico a conquista do Paranaense é um dos principais objetivos da temporada?

Quando se veste a camisa de um clube grande você naturalmente já tem a responsabilidade de conseguir bons resultados. Nós dividimos o primeiro momento da temporada em três etapas. Essa primeira se iniciou no dia 02 e vai até o jogo do Manaus, que é a primeira fase da Copa do Brasil. A segunda é após o jogo com o Manaus até o mata-mata do Campeonato Paranaense, que engloba ainda mais duas fases de Copa do Brasil. A terceira fase vai até o fim do Paranaense passando pela quarta fase da Copa do Brasil. Nosso foco central é agora na primeira etapa. Nosso objetivo central do primeiro momento é pontuar ao máximo no paranaense e passar de fase na Copa do Brasil.

3- Qual estilo de jogo o torcedor do Coritiba irá ver na equipe em 2020?

Sou apaixonado pelo bom futebol, entendo que quando trabalhamos em uma equipe da grandeza do Coritiba a gente não pode pensar diferente de ser protagonista. Particularmente gosto do jogo de controle e dominância e é isso que vamos tentar fazer no Coritiba, para que o clube sempre tenha a atitude de tentar ganhar as partidas, como a consequência de um grande time e de um bom futebol. Vamos procurar tentar tirar o torcedor de casa para o Couto Pereira por ter prazer de ver o time jogar.

Previous ArticleNext Article