“Só depende de nós”, garante Matheus Costa sobre permanência do Paraná no G4

Francielly Azevedo


O Paraná Clube tem um desafio importante nesta terça-feira (7), diante do Brasil de Pelotas, às 20h30 (horário de Brasília), pela 34ª rodada da Série B. Em entrevista coletiva, o técnico Matheus Costa destacou o trabalho que o Tricolor vem fazendo para não sair do G4. Após a derrota para o Oeste, um revés contra o time gaúcho pode custar caro para os paranistas.

“A preocupação é nossa, temos que manter o nosso trabalho, manter o que a gente vem fazendo, brigando, buscando o jogo ponto a ponto, brigando a cada minuto. Precisamos ter um equilíbrio muito forte do início ao fim do jogo. Sabemos da dificuldade que é enfrentar o Brasil em Pelotas, lá é sempre muito competitivo e nós temos que levar essa competitividade para buscar esse resultado a nosso favor”, avaliou Matheus.

O treinador comentou sobre a fase difícil que o Tricolor enfrentou ao encarar concorrentes diretos na briga pelo acesso. Além disso, Matheus salientou a complexidade dessa reta final, mesmo sendo contra times que brigam na parte debaixo da tabela.

“Agora nós viramos essa página e temos outros cinco jogos decisivos para manter nossa permanência no G4. Então é como a gente sempre vem falando, é trabalhar jogo a jogo. É muito difícil conquistar tantas vitórias em casa, nós fizemos história esse ano, só uma vez o Paraná Clube tinha feito 10 vitórias consecutivas em casa”, analisou.

Apesar de figurar entre os quatro primeiros, a equipe paranista não ocupa posição confortável na tabela, já que tem adversários bem próximos e uma derrota pode custar a saída do G4. Oeste e Vila Nova estão respectivamente na 5ª e 6ª colocação, com 55 e 52 pontos. O Paraná Clube é o quarto colocado, com 56 pontos. De acordo com o site Chance de Gol do UOL, o Tricolor tem 79% de probabilidade de conquistar o acesso.

“Observar adversário, torcer contra, torcer a favor, faz parte. Mas a gente sabe que quem está no G4 somos nós e para permanecer no G4 temos que fazer nossos resultados. […] Em qualquer situação de empate hoje, os números estão ao nosso favor: Em uma briga futuramente pelo G4, nós temos o maior número de vitórias que os concorrentes, podendo a gente permanecer na frente do adversário; Caso o número de vitórias seja igual, nós temos o melhor saldo, que é o segundo critério de desempate. Então é manter a cabeça no lugar e continuar o nosso trabalho”, ressaltou.

 

 

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.