“Temos que fazer um jogo de construção”, diz Eduardo Baptista sobre Coritiba

Francielly Azevedo

Antes de comandar seu primeiro treino no estádio Couto Pereira, o treinador Eduardo Baptista concedeu uma entrevista coletiva na manhã da última quarta-feira (25), falando sobre a expectativa de sua estreia como treinador na equipe alviverde e também sobre a sequência de atividades realizadas até aqui. O Coritiba tem compromisso nesta sexta-feira (27), às 21h30 (de Brasília), contra o Criciúma, no Couto Pereira.

“A gente trabalhou bastante e a acho que a entrega dos jogadores foi muito satisfatória. A gente buscou o encaixe e uma preocupação minha era a compactação da equipe, nos treinamentos eu acho que a gente conseguiu melhorar bastante, não o ideal, ainda vai mais tempo de treinamentos, mas já conseguiu vender uma ideia para eles, de um time agressivo, aguerrido, com posse. Tudo isso funcionou bem, os atletas responderam. Mas o jogo é a prova final”, apontou.

Baptista espera inserir seu modelo de jogo no time. “A semana a gente procurou organizar a equipe de maneira que a gente entende, tanto ofensivamente, quanto defensivamente. Defensivamente para mim é mais tranquilo organizar. Ofensivamente, demanda um pouco mais de tempo, porque envolve confiança, entrosamento, e a gente tem focado mais nisso agora”, explicou.

“A gente tem colocado para os atletas a importância de vender para o torcedor uma equipe corajosa, aguerrida, humilde quando não tiver com a bola, para que todo mundo possa se ajudar e tentar retomar a bola da melhor maneira possível. Minha expectativa é grande”, destacou.


E sobre o jogo, o treinador coxa-branca analisou a postura que o Criciúma, comandado por Argel Fucks, deve ter em campo, que deve ser bem fechado e com marcação forte. “É um jogo de muita paciência, que não pode se desequilibrar. Não vamos querer resolver o jogo nos primeiros dez minutos. Embora o torcedor sempre muito exigente vá nos pressionar, mas a gente tem que estar equilibrado. Tem que fazer um jogo de construção, sabendo que podemos fazer um jogo até no último minuto e ganhar. Nós não podemos nos expor de maneira desorganizada, tomar o gol e perder o jogo. A gente tem que estar organizado, vamos agredir, vamos correr riscos equilibrados, mas vamos buscar. Esperamos um Criciúma muito fechado, e nós temos que saber jogar com isso, furar esse bloqueio sem que a gente se exponha ou ofereça os contra-ataques”, observou.

Para o duelo com o Criciúma o alviverde apostou em promoções para atrair o torcedor.

 

Post anteriorPróximo post
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.