Tocha olímpica chega a Atenas e é entregue hoje ao Rio

Fernando Garcel


Depois de percorrer 32 cidades gregas desde o dia 21 deste mês, a tocha olímpica chegou ontem (26) à capital, Atenas. Às 18h de hoje (27), em cerimônia no Estádio Panathinaiko, a chama será entregue a representantes do Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos deste ano.

No Estádio Panathinaikoda, foram abertos em 1896, os primeiros Jogos da Era Moderna. Após a entrega oficial, haverá um rápido revezamento dentro do estádio, seguido de apresentações culturais. Em seguida, o fogo olímpico será levado à Embaixada Brasileira em Atenas.

O ministro do Esporte, Ricardo Leyser, participará da cerimônia, ao lado dos presidentes do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, e da Autoridade Pública Olímpica, Marcelo Pedroso. Também estarão presentes o presidente da Grécia, Prokopios Pavlopoulos, e o presidente do Comitê Olímpico Helênico, Spyros Capralos.

https://youtu.be/2Mc5fjK4k4Q

Depois de acesa em Olímpia, a chama passou por cidades como Alexandroupolis, Larissa e Marathonas até chegar à capital grega. Só no país berço dos Jogos, o fogo foi conduzido por 450 pessoas e percorreu 2.234 quilômetros. Depois de pernoitar na embaixada, o fogo passará pela Suíça, onde fica a sede do Comitê Olímpico Internacional, e será transportado até o Brasil – em um recipiente hermeticamente fechado usado para os deslocamentos de avião.

A chama começa a cruzar o país no dia 3 de maio, partindo de Brasília. Só na capital federal, o fogo olímpico vai percorrer 105 quilômetros e passará pelas mãos de 143 condutores. Em seguida, a tocha vai para a cidade de Corumbá de Goiás. No Brasil, a chama olímpica passará por mais de 300 cidades antes de chegar no Rio de Janeiro, em 4 de agosto.

Paraná

Durante sete dias, a chama olímpica percorrerá 22 cidades paranaenses e pernoitará em seis delas. O roteiro inclui Foz do Iguaçu, onde está um dos mais famosos atrativos naturais do mundo: as Cataratas do Iguaçu. A tocha também passará pela capital, Curitiba, com destaques como o Jardim Botânico, o Teatro Ópera de Arame e a Torre em forma de olho do Museu Oscar Niemeyer.

Ponta Grossa, que abriga o Parque Estadual de Vila Velha, também está no roteiro do símbolo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No parque, chamam atenção as gigantescas formações rochosas que mudam de cor conforme a hora e a incidência solar. Também faz parte do percurso da chama o município de Londrina, famoso por eventos como o Festival de Música e o Festival Internacional de Teatro. O visitante que vai a Londrina pode ainda apreciar o café local, já que a cidade é uma das nove que compõe a Rota do Café. Já em Cascavel, o ponto forte é o turismo de negócios e eventos.

Para ajudar na preservação e na exploração sustentável do turismo nos destinos paranaenses, o Ministério do Turismo apoiou nos últimos anos projetos que somam quase R$ 478 milhões. Entre essas obras financiadas destacam-se a construção do Centro de Eventos de Foz do Iguaçu e de sinalização turística em Curitiba.

Roteiro

Dia 28 de junho, a tocha chega ao Paraná com a primeira parada em Londrina, onde pernoitará. No dia seguinte, segue pelas cidades de Arapongas, Maringá, Campo Mourão antes de passar a noite em Cascavel. Dia 30, a comitiva do revezamento percorre Matelândia, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu até chegar em Foz do Iguaçu. Em 2 de julho o percurso é retomado e cruza os municípios de Céu Azul, Santa Tereza do Oeste, Realeza, Francisco Beltrão e Pato Branco, para mais um pernoite.

Em 14 de julho, depois de passar pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a tocha volta ao Paraná, entrando por São José dos Pinhais. No mesmo dia segue para Curitiba, para a festa de celebração que se repetirá em todas as cidades de pernoite. Nos dias 15 e 16 é a vez dos municípios de Fazenda Rio Grande, Araucária, Campo Largo, Ponta Grossa (pernoite) e Castro.

A lista dos indicados pela Prefeitura de Curitiba

Adir Romeo – técnico da Seleção Brasileira de Ciclismo

Athos Schwantes – esgrimista

Bárbara Domingos – ginasta

Benedito Oliveira – técnico de Tênis De Mesa Paralímpico

Danilo Herek – cicloatividade

Henrique Rodrigues – nadador

Leônidas Dias – jornallista esportivo

Lucas Matheus – estudante da rede municipal e atleta

Marcelo Alves – ultramaratonista

Moisés Batista – atleta de rúgbi em cadeira de rodas

Nelson Bientinez Filho  – Ex-técnico e ex-atleta de futsal

Rafaela Raurich – nadodora

Richardson dos Santos – atleta paralímpico de bocha

Rivelino de Almeida – agente de trânsito

Rolando Ferreira – ex-jogador de basquete

Vicélia Florenzano – presidente da Federação Paranaense de Ginástica

Wanderléia Jentsch – coordenadora do Projeto Vor-Rúgbi

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="355165" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]