Jovem da comunidade do Rio representa crianças do mundo em Curitiba

Redação


O estudante Walas Souza dos Santos, de 15 anos, é um dos participantes do revezamento da tocha olímpica em Curitiba, nesta quinta-feira (14).

Walas deixou o interior da Bahia há três anos, com seus pais e cinco irmãos, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde foi morar no Morro dos Prazeres, na região central da capital fluminense. A mudança não foi fácil, mas Walas logo encontrou uma oportunidade essencial: começou a participar dos treinos de futebol da comunidade. Ele descobriu no esporte uma maneira de fazer novos amigos, enfrentar os desafios que afetam os jovens das comunidades e sonhar com uma vida melhor para todos.

O entusiasmo com o esporte fez Walas ser convidado para conduzir a tocha olímpica, símbolo da união entre os povos. A convite do Unicef, Walas vai representar todas as crianças do Rio de janeiro e do mundo. “No começo, não acreditei. Por que eu? É um orgulho muito grande. Espero poder representar bem todas as crianças”, sorri Walas.

Foi com o incentivo da irmã Carol, hoje com 17 anos, que o adolescente começou a treinar futebol. A desenvoltura na quadra e os dribles de craque levaram-no a participar neste ano do seu primeiro campeonato. Atualmente, o estudante joga na posição de zagueiro e treina três vezes por semana para alcançar o sonho de ser jogador de futebol. “O futebol me faz alegre. Eu queria ver todo mundo sorrindo mais. Acho que, se a gente pudesse convidar mais crianças para jogar futebol, elas se apegariam na bola e não desistiriam de coisas boas”, conta.

“É essencial garantirmos oportunidades justas para cada criança, especialmente as mais vulneráveis. E o direito ao esporte pode ser um grande aliado para construirmos uma vida com mais saúde, mais diversão e menos violência nos centros urbanos”, diz Luciana Phebo, coordenadora do escritório do Unicef no Rio de Janeiro e coordenadora nacional da Plataforma dos Centros Urbanos.

Previous ArticleNext Article