Toledo faz história e é campeão da Taça Barcímio Sicupira

O Toledo é campeão da Taça Barcímio Sicupira. O Porco venceu o Coritiba nos pênaltis (3 a 2), neste domingo (24), no Cou..

Francielly Azevedo - 24 de fevereiro de 2019, 19:20

Foto: Geraldo Bubniak - AGB
Foto: Geraldo Bubniak - AGB

O Toledo é campeão da Taça Barcímio Sicupira. O Porco venceu o Coritiba nos pênaltis (3 a 2), neste domingo (24), no Couto Pereira. No tempo regulamentar, as duas equipes empataram em 1 a 1.

O time toledense sofreu com o domínio cobra-branca, mas foi oportunista ao aproveitar os lances de bola parada. Foi assim, que o Porco saiu na frente. O Coxa correu atrás e empatou na volta do intervalo.

Aguentando a pressão, o Toledo segurou e levou a decisão para os pênaltis. Em penalidades marcadas pelas boas defesas dos goleiros e erros sucessivos dos cobradores, o Porco levou a melhor e fez história.

Coritiba domina, mas toma gol em bola parada

O Coxa iniciou a partida pressionando. Logo nos minutos iniciais, Giovanni cobrou falta e Vitor Carvalho desviou, venenoso, de cabeça. A bola só não entrou porque o goleiro André Luiz estava atento no lance, e caiu no cantinho para fazer a defesa.

O alviverde seguiu com a mesma postura. Aos nove, chegou na velocidade com Juan Alano, mas, novamente, o arqueiro do Porco saiu na medida, nos pés do jogador coxa-branca, e evitou o arremate.

Tímido, o Toledo chegou aos 15 minutos com Jonathan. O jogador fez o cruzamento direto para o gol e assustou o goleiro Wilson, que deu um tapa na bola.

O duelo seguiu com o Coxa apertando, mas sem efetividade. Enquanto o Toledo permanecia, na maioria do tempo, atrás da linha de meio campo, atuando recuado.

O Coxa seguiu firme. Aos sete, Alano fez o desvio de cabeça, Rodrigão ficou com a bola na área e arriscou. Mas André Luiz não deixou passar.

O alviverde seguiu na pressão. No bate-rebate, assustava em algumas oportunidades. Aos 22, no bombardeio, quase virou. Giovanni tentou uma bomba de fora da área, André defendeu e, no rebote, Rodrigão mandou por cima do gol.

O duelo seguiu até os 50 minutos, mas nada de mudar o placar. Com isso, decisão foi para os pênaltis.

A bola que insiste em não entrar

As cobranças começaram com o ídolo do Coritiba, Wilson, que completou 200 jogos com a camisa alviverde, desperdiçando o arremate. O arqueiro mandou para fora.

A redenção veio no lance seguinte. Revson mandou uma bomba e Wilson defendeu com o pé.

Na sequência, Iago Dias também desperdiçou. O atleta escorregou e acertou o pé da trave. O segundo a cobrar pelo Toledo foi Léo Teles. O jogador também mandou para fora.

A bola insistia em não entrar. Na sequência, Juan Alano bateu e André Luiz não deixou passar.

A rede só foi balançar na sexta cobrança. Pacato, com tranquilidade, acertou o ângulo de Wilson e abriu o placar das penalidades. Com a porteira aberta, foi a vez de Rodrigão, que não desperdiçou e, com categoria, mandou com calma no cantinho esquerdo de André.

O próximo a bater foi Marcelinho, que tomou pouca distância e acertou o canto. Sabino se posicionou pelo Coxa e garantiu o dele.

A responsabilidade estava nos pés de Guilherme Rend, que não passou por Wilson. O arqueiro foi firme no cantinho direito e não deixou a rede balançar.

Em noite de goleiros, André defendeu o chute de Igor Jesus e a tensão ficou nas mãos de Wilson. Mas não deu para o arqueiro, Eduardinho foi para cobrança e fez história, garantindo a Taça Barcímio Sicupira ao Toledo.