Torcida do Inter faz campanha para athleticano que perdeu a mão

Francielly Azevedo

wesley-pontes-athleticano - torcedor - athletico

Torcedores do Internacional deixaram a rivalidade pela final da Copa do Brasil de lado e resolveram ajudar o torcedor athleticano que teve a mão dilacerada por um sinalizador, nesta terça-feira (17), durante a chegada dos jogadores do Athletico-PR no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Eles criaram uma campanha para arrecadar dinheiro para o tratamento de Wesley Pontes, conhecido como “Tio Leli”.

A página humorística “O Fantástico Mundo de Bobby Esquizofrênico”, feita por torcedores colorados, fez um post no Facebook para angariar doações.

Bruna Sgarzela foi uma das idealizadoras da campanha. Torcedora do Internacional, ela mora em Curitiba, e falou com outros torcedores colorados antes de embarcar para Porto Alegre para assistir à final da Copa do Brasil. As doações são feitas para a conta da mãe de Pontes, Ana Maria Pontes (Banco do Brasil. Agência 1863-5 / Conta Corrente 81.352-4), para conseguir pagar os gastos com medicamentos e hospital.

“Como era ele que ajudava os pais em casa, ele perdeu um irmão há um ano que cometeu suicídio, então ele quem ajudava com as despedas. Então esse dinheiro vai ser para tratamento, para curativo, para deslocamento de hospital, de exame, para manter a casa nesses próximos dias, já que provavelmente ele ficará um bom tempo parado”, explicou Bruna.

Pontes trabalha em restaurantes como cozinheiro, assador de carnes e garçom. Ele chegou a atuar no estabelecimento da mãe de Bruna, após conhecer a torcedora em um jogo. “Eu moro em Curitiba e conheci ele através do futebol”, lembrou.

Pontes foi encaminhado para o hospital São José, em São José dos Pinhais, pelo SIATE (Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência. Ele passou por uma cirurgia durante a noite de terça-feira (17) para tentar reparar a mão e o antebraço. Pontes terá que passar por outros procedimentos cirúrgicos

“Ele fez uma cirurgia ontem. Ele tá internado, vai ter que ficar internado, não vai receber alta tão cedo, porque foi bem complicado. Provavelmente no decorrer dos dias ele tenha que fazer mais umas duas cirurgias, antes de receber alta. Mas ele está estável. Mandou o pessoal avisar que ele está bem, tranquilo e reagiu bem”, contou Bruna Sgarzela.

Os torcedores do Internacional agora contam com a solidariedade das pessoas para ajudar o athleticano. “Eu digo que o futebol vai além dos 90 minutos, porque eu tenho recebido mensagens de palmeirenses, gremistas, flamenguistas, colorados, dos próprios athleticanos, todos muito comovidos”, afirmou.

Bruna ressaltou que após o jogo da final irá fazer uma prestação de contas para quem contribuiu com a campanha. “Qualquer valor pode ser doado, tudo o que vier é bem-vindo”, disse.

PM ATUA RAPIDAMENTE

A explosão aconteceu enquanto a torcida rubro-negra se reunia para recepcionar o time athleticano que embarcaria para Porto Alegre para o jogo desta quarta-feira (18), às 21h30, entre Athletico e Internacional, no Beira-Rio. Wesley Pontes estava com um sinalizador, que estourou na mão dele, o membro ficou dilacerado.

O policial militar Diego Feltrin foi quem prestou o primeiro atendimento. Ele conta que fez uma espécie de torniquete para conter o sangramento. Imagens do acidente viralizaram nas redes sociais e WhatsApp, no entanto, o Paraná Portal optou por não divulgar vídeos do ocorrido, por se tratarem de cenas chocantes.

Reprodução / Facebook

“Os torcedores faziam uma festa pacífica enquanto esperavam o time. Em certo momento houve uma explosão na área externa do aeroporto. Foi quando eu percebi que um dos torcedores havia sido vítima da explosão com objeto pirotécnico e teve a mão dilacerada. De imediato, após analisar o mecanismo do trauma, eu me aproximei dele e fiz aplicação de um dos objetos que eu carrego no meu equipamento, que é o torniquete”, relatou.

A ação rápida de Feltrin foi o que garantiu que Pontes não tivesse sofrido uma hemorragia e viesse a óbito. O policial explica que a atuação dele está prevista no protocolo do treinamento da Polícia Militar. “Durante o curso de formação e de atualização profissional, são fornecidos treinamentos com médicos que nos apoiam nesse sentido”, afirmou.

ORIENTAÇÃO PARA USO DE FOGUETES

O policial Diego Feltrin orienta que as pessoas que forem utilizar equipamentos pirotécnicos prestem atenção nas instruções de uso que vêm nas embalagens e façam em locais afastados de aglomerações. “Se for utilizar esses objetos, leia certinho as instruções dos rótulos, evitar ter contato direto segurar eles com as mãos, utilizar suporte, seguir o modo que vem nas embalagens”, destacou.

Feltrin ainda aconselha que em casos de acidentes, o ideal é ligar rapidamente para um serviço de emergência no telefone 193 ou para Polícia Militar no 190. “Se você não tem treinamento, a melhor forma de você ajudar é acionar uma equipe especializada”, orientou.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.