Vasco toma quatro, mas passa, nos pênaltis, para a fase de grupos

Roger Pereira


RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Demonstrando muita dificuldade para jogar na altitude de 2.810 metros de Sucre (BOL), o Vasco foi completamente envolvido pelo Jorge Wilstermann (BOL), nesta quarta-feira (21), perdeu por 4 a 0 no tempo normal, e só obteve a classificação para a fase de grupos da Copa Libertadores após vencer a disputa de pênaltis por 3 a 2, com grande atuação do goleiro Martín Silva, que pegou três cobranças.
O Vasco tinha viajado para a Bolívia com uma larga vantagem no confronto. Na partida de ida, em São Januário, há uma semana, a equipe dirigida por Zé Ricardo havia vencido por 4 a 0. Por isso, conseguiria a classificação até com uma derrota por três gols de diferença. Com a vaga na fase de grupos assegurada, o Vasco entrará na “chave da morte”, que também tem Cruzeiro, Racing (ARG) e Universidad de Chile (CHI).
O time cruzmaltino inicia sua caminhada na próxima etapa da competição no dia 13 de março, em São Januário, contra a Universidad de Chile. Em seguida, enfrenta Cruzeiro (fora), dia 4 de abril, e o Racing, na Argentina, dia 19 de abril.
A derrota sofrida nesta quarta foi a pior do Vasco na história da Libertadores. Anteriormente, o resultado mais expressivo foi um revés por 3 a 0 para o Boca Juniors (ARG) em 2001.
Valendo-se da altitude, o Jorge Wilstermann foi com tudo para cima do Vasco e fez três gols relâmpagos. Um aos 5min do primeiro tempo, com Zenteno, em cabeceio, outro com Pedriel, aos 6min, também de cabeça após lançamento do brasileiro Serginho, e o terceiro aos 16min, com Cristian Chávez, antecipando-se no cruzamento ao zagueiro Ricardo.
A única chance de maior perigo a favor do Vasco no primeiro tempo aconteceu aos 17min, quando Evander arriscou um chute forte da intermediária, e o goleiro Giménez fez grande defesa.
O gol que igualou o placar agregado aconteceu aos 26min do segundo tempo, quando Serginho cobrou falta para a área, a zaga vascaína parou, e Zenteno, de novo, guardou de cabeça.
Na disputa por pênaltis, o Vasco converteu as duas primeiras cobranças, com Andrés Ríos e Yago Pikachu, enquanto Martín Silva defendeu o chute de Lucas Gaúcho. Desábato, então, desperdiçou para os brasileiros. Martín Silva, contudo, corrigiu o erro ao espalmar chute de Meleán.
Na quinta cobrança, Rildo poderia ter definido a vitória, mas Giménez defendeu. A quinta cobrança do Jorge Wilstermann, de Alex Silva, foi a última que parou nas mãos de Martín Silva, que, assim, garantiu o Vasco na fase de grupos da Libertadores.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="485162" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]