Verstappen vence GP de Abu Dhabi e conquista Mundial de Pilotos da F1

O holandês Max Verstappen venceu o GP de Abu Dhabi na manhã deste domingo (12) e conquistou pela primeira vez o título d..

Jorge de Sousa - 12 de dezembro de 2021, 11:37

O holandês Max Verstappen venceu o GP de Abu Dhabi na manhã deste domingo (12) e conquistou pela primeira vez o título do Mundial de Pilotos da F1.

Verstappen precisava chegar na frente do britânico Lewis Hamilton para ser campeão e conseguiu a ultrapassagem na última volta para vencer o título.

Essa foi apenas a segunda vez na história que o Mundial de Pilotos da F1 é decidido na última prova com os pilotos empatados, com a disputa em 1974 colocando o brasileiro Emerson Fittipaldi contra o suíço Clay Regazzoni frente a frente neste cenário.

Na disputa no circuito de Watkins Glen, nos Estados Unidos, Fittipaldi chegou na quarta colocação e garantiu o título, após Regazzoni sofrer com problemas mecânicos e chegar apenas na 11ª posição.

O GP de Abu Dhabi ainda marcou a despedida do campeão mundial finlandês Kimi Raikkonen das pistas. Com 37 anos, Raikkonen se despede como recordista de corridas disputadas, mas teve que abandonar a última prova da carreira com problemas mecânicos.

MERCEDES CONFIRMA CONQUISTA DO MUNDIAL DE CONSTRUTORES DA F1

Mesmo sem comemorar o título de Hamilton, a Mercedes garantiu o octacampeonato do Mundial de Construtores da F1, ampliando a maior série de conquistas da história da categoria.

Antes da sequência da Mercedes, a Ferrari tinha registrado a maior série de títulos consecutivos da F1, com troféus no Mundial de Construtores entre 1999 e 2004.

O título do Mundial de Construtores da Mercedes foi conquistado com 613,5 pontos somados de Hamilton e do finlandês Valtteri Bottas contra 585,5 pontos da Red Bull - com pontuação somada de Verstappen e do mexicano Sérgio Pérez.

VERSTAPPEN APROVEITA ACIDENTE PARA ULTRAPASSAGEM NO FINAL

O GP de Abu Dhabi começou emocionante logo na larga, quando Hamilton conseguiu ultrapassar Verstappen logo na primeira curva para assumir a liderança.

Verstappen tentou a ultrapassagem para recuperar a liderança ainda na primeira volta e na curva da reta oposta, buscou a manobra, mas não deixou espaço para Hamilton tracionar o carro e o britânico saiu da pista e usou a área de escape para voltar ainda na primeira posição.

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) decidiu por não punir nenhum dos dois pilotos e manteve a ordem de posições inalterada.

Com pneus médios, Hamilton conseguiu abrir vantagem sobre Verstappen (que optou por largar com o composto macio) e por isso a Red Bull chamou o piloto holandês para o pit stop na volta 14, sendo seguido pela Mercedes na volta seguinte.

Após as paradas, Pérez voltou na liderança da corrida e fez um excelente trabalho de equipe em segurar Hamilton, permitindo que Verstappen se aproximasse do rival.

Só que na volta 36, o italiano Antonio Giovinazzi teve que abandonar a corrida por problemas mecânicos e como o carro ficou em posição perigosa o Safety Car Virtual foi acionado.

A Red Bull decidiu chamar novamente Verstappen para a parada de troca de pneus, enquanto a Mercedes deixou Hamilton na pista.

O holandês então foi buscando voltas mais rápidas em sequência, mas Hamilton estava conseguindo manter uma vantagem confortável até a volta 53, quando o canadense Nicholas Latifi bateu no muro e o Safety Car foi acionado.

Com apenas uma volta restante, o Safety Car foi para os boxes e com os pneus mais novos, Verstappen conseguiu fazer a ultrapassagem sobre Hamilton para ganhar o título mundial.

LEIA MAIS: Tenista francês desiste do Australian Open para não tomar vacina contra covid