Vilson apoia Samir, mas descarta retorno à diretoria do Coritiba

Ayrton Baptista Junior - CBN Curitiba

Samir Namur continua na presidência do Coritiba. Na votação que arquivou o pedido de afastamento do dirigente, segunda-feira (26), teve papel decisivo o ex-presidente Vilson Ribeiro de Andrade, que comandou o alviverde entre 2012 e 2014. “A decisão (dos integrantes do Conselho Deliberativo) foi no sentido de evitar um desgaste da instituição, mas isto não significa que a gestão atual foi feliz. Os números mostram que não foi feliz, principalmente no campo, que é o grande negócio do Coritiba. O futebol é a razão da existência do clube”, afirmou à CBN Curitiba. Na reunião, Vilson falou antes da manifestação dos conselheiros.

O ex-presidente e hoje membro do Conselho Consultivo do clube frisou que não há acusação de irregularidade contra a diretoria: “Não há uma ilicitude que possa ser apontada, apenas uma infelicidade na gestão do futebol (em 10º lugar na Série B do Campeonato Brasileiro, o Coritiba não obteve o acesso para a Série A). Foi chamada a atenção da diretoria e, com isso, tem a oportunidade em 2019 de verificar os erros, de apresentar melhores resultados”.

Na eleição realizada em dezembro de 2017, Vilson apoiou a chapa de Pedro Castro, um dos dois candidatos derrotados (o outro foi João Carlos Vialle). Um ano depois, Vilson admite colaborar informalmente com Samir: “Falei para ele que sempre estarei à disposição para ajudá-lo, para orientar dentro de um planejamento, mas de uma forma informal porque não eu pretendo nenhum cargo e hoje nem tenho tempo para exercer cargo dentro do clube”. Em setembro, o ex-presidente foi recebido pelo atual, no estádio Couto Pereira.

Na semana passada, 87 conselheiros pediram a realização da assembleia que poderia causar a saída de Samir, que tem mais dois anos de mandatos. A opção pelo arquivamento deste processo, que poderia durar um mês, teve 81 votos favoráveis e 66 contra.


Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook