Abaixo-assinado pede restauração da Belas Artes

Amanda Koiv


Ex-alunos e ex-professores da Belas Artes se mobilizaram junto à comunidade artística e estão realizando um abaixo-assinado para pedir a restauração da antiga sede. O documento e o projeto serão encaminhados ao poder público paranaense e, até a publicação desta reportagem, mais de 6.205 pessoas já haviam assinado a petição.

A EMBAP foi a primeira escola de artes paranaense de nível superior em Curitiba, fundada em 17 de abril de 1948. É um marco fundamental na formação de importantes profissionais no campo das artes plásticas e música no Estado do Paraná através do Ensino Público Superior e Gratuito.

Veja o que diz o documento oficial:

“Através das mãos da renomada artista plástica paranaense Estela Sandrini, formada pela EMBAP em 1967, diretora do MON entre 2011 e 2017, escolhida para ser a representante de todos aqueles que compartilham e acreditam nesta manifestação, será encaminhado o abaixo-assinado e todo o projeto desta transformação ao poder público paranaense como forma de apresentar a justa e importante reivindicação de preservação do patrimônio com a restauração do prédio, propondo um novo e digno tempo para a arte. Portanto o momento é de união para que nosso prédio continue a fazer parte da história artística do nosso estado, afastando-se da perspectiva de ruína e abrigando atividades artísticas e formadoras de público”

COMO DEVE FICAR A BELAS ARTES APÓS A RESTAURAÇÃO

O lugar passará a ser chamado oficialmente de Casa das Artes – EMBAP e a restauração do prédio vai transformá-lo numa casa de cultura aberta à comunidade, com espaço para um memorial da escola, sala de exposições, auditório, livraria e um café cultural.

Além disso, oficinas de artes visuais e música, salas para práticas de extensão universitária, formação de público e lazer cultural, farão com que o espaço se integre novamente ao centro histórico de Curitiba, ampliando a valorização artística e incentivando novas gerações de artistas locais.

***Amanda Koiv é estagiária de Jornalismo e escreve sob a supervisão da Jornalista Martha Feldens 

 

Previous ArticleNext Article