Cerca de 22 mil pessoas assistiram espetáculo de balé “O Lago dos Cisnes”

Andreza Rossini

“Choveu” no palco durante a apresentação do clássico de balé, Lago dos Cisnes, no Teatro Guaíra, em Curitiba. A excelente performance dos bailarinos combinadas com o som orquestra sinfônica do Paraná e experiência sensorial imersiva, emocionou o público que lotou o espaço nos três dias de apresentação.

Essa foi a segunda etapa de Lago dos Cisnes, que ocorreu em quatro sessões lotadas entre 6 e 9 de dezembro. Cerca de 22 mil pessoas assistiram as apresentações durante o ano, segundo o Guaíra.

Também foram realizadas duas apresentações no teatro Alfa, em São Paulo, com lotação do público. Não há previsão para novas apresentações.

O clássico de Tchaikovsky conta a história de amor entre o príncipe Siegfried e a princesa Odette, transformada em cisne por um bruxo. Esse enredo é apresentado pelo Balé Teatro Guaíra com linguagem contemporânea e os bailarinos interpretam dilemas atuais, como os conflitos da entrada na vida adulta e o relacionamento entre pais e filhos. Para criar os fortes personagens do espetáculo e executar a coreografia com perfeição foram necessários cinco meses de ensaios, cerca de 600 horas.


Foto: Divulgação

“As lendas que inspiraram essa história são cheias de reviravoltas e enigmas. Há aqui uma simbologia sobre o amadurecimento, a busca pela autonomia e formação da personalidade. Inicialmente Siegfried é dominado pela mãe, mas encontra no amor forças para seguir seu próprio caminho”, conta o diretor do espetáculo e coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni.

Cíntia Napoli, diretora do BTG, afirma que O Lago dos Cisnes é o clássico mais popular da história da dança em função de sua riqueza narrativa e genialidade da composição de Tchaikovsky. “O Balé Teatro Guaíra traz a força dessa tradição, mas com uma visão atualizada. O espectador é protagonista. O público se identifica com o drama de cada personagem, é capaz de viver a história”.

“Encantador que haja tanta força e delicadeza em uma mesma estrutura, que se consiga contar uma estória com dança e fazer chover no palco”, afirmou uma das espectadoras, Bárbara Bioni.

A apresentação é separada em atos atos e dura, aproximadamente, duas horas.

Post anteriorPróximo post