Com desânimo do torcedor, bares e restaurantes paranaenses buscam alternativas na Copa

Francielly Azevedo - CBN Curitiba

De acordo com a pesquisa Datafolha, divulgada na semana passada, 53% dos brasileiros afirmam não ter nenhum interesse pela Copa do Mundo.

Segundo o Datafolha, a marca de agora é a pior as vésperas do torneio desde 1994.

O índice tem refletido no setor de bares e restaurantes, que procura alternativas para conseguir lucrar durante o Mundial.

O presidente da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), Fabio Aguayo, disse que em 15 anos atuando no setor, nunca viu o mercado tão desanimado.”É a primeira vez que eu vejo a Copa chegar sem perceber, nesses meus 15 anos de empresário no setor”, disse.


Segundo Aguayo, os horários dos jogos também são ingratos. O Brasil, por exemplo, no dia 22 (sexta-feira), entra em campo às 9h, contra a Costa Rica. A maioria dos jogos acontece quando muitas pessoas estão em horário de expediente, por isso, os empresários estão tentando inovar.

“Muitos horário comercial, jogos na hora do almoço. Nós temos incentivado os empresários a criarem soluções, alternativas, pra fazer a economia girar, manter os empregos”, afirmou.

Pensando nas alternativas para escapar da crise, a Abrabar organizou com 26 estabelecimentos paranaenses o Mundial de Bares, em três cidades: Londrina, Foz do Iguaçu e Curitiba. São cardápios exclusivos para o período, inspirados em oito países campeões da Copa do Mundo (Brasil, Argentina, Alemanha, Espanha, França, Itália, Inglaterra e Uruguai), além da anfitriã Rússia.

Para Aguayo, a aposta para reverter a queda de movimento e faturamento é torcer para que o Brasil avance de fase e traga o Hexa. “Temos que torcer para o Brasil avançar, porque eu sei que vai melhorar para todo mundo. Se vier esse título para cá, vai melhorar para todo mundo”, destacou.

O Mundial de Bares vai até 15 de julho, data da final da Copa do Mundo.

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook