Corpo da ginasta Ana Paula Scheffer é enterrado no Paraná

Redação

ginasta ana paula scheffer enterro paraná toledo

O corpo da ginasta Ana Paula Scheffer, encontrada morta dentro da própria casa há dois dias, foi enterrado por volta das 15h deste domingo (18) no cemitério Jardim da Saudade, em Toledo, na região oeste do Paraná.

A cerimônia contou com a presença de familiares, amigos e também alunas da ex-atleta da seleção brasileira. As amigas e alunas seguraram rosas e fizeram um corredor na passagem do caixão. Algumas também levaram fitas coloridas, equipamentos usados nas apresentações de ginástica rítmica. Os presentes no enterro aplaudiram e oraram durante o trajeto até o túmulo. O velório foi realizado desde ontem, na cripta da Catedral Cristo Rei, e contou com a presença de 50 pessoas, metade da capacidade máxima do local por causa da pandemia de covid-19.

Ana Paula Scheffer, que faleceu aos 31 anos, era professora de ginástica rítima em Toledo e Cascavel após ter defendido a seleção brasileira de ginástica entre 2005 e 2015. Ela conquistou medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, em 2007, no aparelho Arco. Pela seleção ela também participou de competições como o Mundial de Ginástica Rítmica no Japão, em 2009, Jogos Sul-Americanos de 2006, em Buenos Aires, e de 2010, em Medelín.

EXAME DO IML FOI INCONCLUSIVO SOBRE A CAUSA DA MORTE DE ANA PAULA SCHEFFER

(Foto: Emanuel Rocha/Divulgação Confederação Brasileira de Ginástica)

Segundo a família, Ana foi encontrada deitada na cama após a mãe, Sonia Scheffer, chamá-la para almoçar por volta das 12h da última sexta-feira.

A suspeita da família é que ela teve um infarto fulminante, mas o primeiro exame do IML (Instituto Médico-Legal) de Toledo foi inconclusivo. Novos testes devem ser feitos entre três a quatro para identificar a causa da morte. De acordo com o IML, a previsão se dá pelo trabalho intenso dos peritos durante a pandemia de covid-19.

HOMENAGENS

A CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) lamentou a morte de Ana Paula Scheffer e disse que a ex-atleta era uma das mais notáveis da sua geração.

“É uma das atletas que construíram a nossa ginástica rítmica, e que a transformaram em motivo de grande orgulho para todos os brasileiros. Além de inspirar, tinha um importante trabalho de formação de novas atletas no Paraná. Parte cedo demais, mas não será esquecida”, declarou a presidente da CBG, Maria Luciene Cacho Resende.

A Federação Paranaense de Ginástica (FPRG) também emitiu comunicado sobre a morte Ana Paula Scheffer. No Facebook, a entidade alegou que a atleta ajudou a levar o nome do Paraná para o mundo.

O céu ganha uma estrela, que há 31 anos brilhava aqui na terra. Ana foi medalha de bronze no aparelho Arco, nos Jogos Pan-americanos de 2007, no Rio de Janeiro e ajudou a levar o nome do Paraná mundo afora. Ficam agora as lembranças e a mais profunda saudade, de uma ginasta vencedora e de uma talentosa treinadora. Nós, dirigentes, treinadores, árbitros e ginastas, que somos a Federação Paranaense de Ginástica sentiremos sua falta! Vá em paz, Ana”, publicou a Federação.

É com enorme pesar que comunicamos o falecimento da ex-ginasta e treinadora toledana Ana Paula Scheffer. Hoje o céu…

Publicado por Federação Paranaense de Ginástica em Sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Previous ArticleNext Article