‘Deserto Particular’ e ‘Benedetta’ recebem prêmios no Festival Mix Brasil

Folhapress


A edição de 2021 do Festival Mix Brasil de Cultura de Diversidade, que ocorreu entre os dias 10 e 21 de novembro, anunciou seus vencedores neste domingo (21).

“Deserto Particular”, dirigido por Aly Muritiba, foi apontado como o melhor longa-metragem brasileiro pelo júri da mostra, além de ter recebido o prêmio de interpretação pela atuação de Pedro Fasanaro.

Exibido no último Festival de Veneza, onde foi premiado, ele também é o candidato oficial do Brasil para tentar uma vaga entre os indicados ao próximo Oscar de melhor filme internacional.

A produção traz a história de Daniel, um ex-policial que mora em Curitiba e tem uma vida infeliz, até que ele parte numa jornada em direção ao sertão baiano à procura de Sara, uma mulher com quem ele desenvolve uma relação amorosa a partir de aplicativos de mensagem.

De Rafael Ramos, “Manaus Hot City” foi escolhido o melhor curta-metragem pelo júri. Entre as escolhas do público, estão “Dois Garotos que se Afastaram Demais do Sol”, de Lucelia Sergio e Cibele Appes, na categoria curta-metragem nacional, e “Máquina do Desejo”, de Joaquim Castro e Lucas Weglinski, em longa-metragem nacional.

Dos internacionais, os favoritos foram o curta suíço “Na Natureza”, de Marcel Barelli, e “Benedetta”, de Paul Verhoeven, o principal título da programação.

Em formato híbrido devido à pandemia, com sessões presenciais e exibições online, o Festival Mix Brasil contou com 117 filmes, além de peças de teatro, debates sobre literatura queer, oficinas e longas para crianças, shows e um tributo ao cantor Ney Matogrosso, o homenageado desta edição.

Confira, a seguir, a lista de vencedores de cinema na mostra:

Coelho de Ouro – Prêmio do júri da Mostra Competitiva Brasil
Melhor curta-metragem brasileiro: “Manaus Hot City”, de Rafael Ramos
Melhor longa-metragem brasileiro: “Deserto Partticular”, de Aly Muritiba
Coelho de Prata – Prêmio do júri da Mostra Competitiva Brasil para Curtas-Metragens
Melhor direção: Victoria Negreiros e Júlia Fávero, por “Como Respirar Fora d’Água”
Melhor roteiro: Rodrigo Almeida, por “O Nascimento de Helena”
Melhor interpretação: Raphaella Rosa, por “Como Respirar Fora d’Água”
Menção honrosa: “Flor de Mureré”, de Marcos Corrêa e Priscila Duque
Coelho de Prata – Prêmio do júri da Mostra Competitiva Brasil para Longas e Médias-Metragens
Melhor direção: Madiano Marcheti, por “Madalena”
Melhor roteiro: André Antônio, por “Vênus de Nyke”
Melhor interpretação: Pedro Fasanaro, por “Deserto Particular”
Menção honrosa: “Até o Fim”, de Glenda Nicácio e Ary Rosa
Coelho de Prata – Prêmio do público
Melhor curta-metragem nacional: “Dois Garotos que se Afastaram Demais do Sol”, de Lucelia Sergio e Cibele Appes
Melhor curta-metragem internacional: “Na Natureza”, de Marcel Barelli (Suíça)
Melhor longa-metragem nacional: “Máquina do Desejo” de Joaquim Castro e Lucas Weglinski
Melhor longa-metragem internacional: “Benedetta”, de Paul Verhoeven (França, Holanda)
o Prêmio Canal Brasil de Curtas
“O Amigo do Meu Tio”., de Renato Turnes
o Prêmio SescTV
“Uma Carta Para o Meu Pai”, de Aline Belfort
o Bolsa Ateliê Bucareste
Giuliana Lanzoni, pela fotografia de “Como Respirar Fora d’Água”
o Prêmio CineMix Periférico
“Como Recuperar o Fôlego Gritando”, de Diego Nascimento e Murilo Gaulês

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="805109" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]