Festival leva pesquisadores e discussões acadêmicas para bares da capital

Metro Jornal Curitiba


Em um momento delicado para a educação e pesquisa brasileira, com cortes em orçamentos de universidades e bolsas de pesquisas, seis bares de Curitiba trocam o happy hour tradicional pela divulgação científica. Entre hoje e quarta-feira, a terceira edição curitibana do festival internacional Pint of Science vai reunir especialistas de sete instituições em 18 palestras de seis diferentes temáticas: Tecnologia, Ciências Exatas, Biológicas, Humanas, da Saúde e da Terra.

Entre os temas dos debates estão desde a vacinação até inteligência artificial e mudanças climáticas. Segundo o coordenador do evento em Curitiba, Fabio Marcel Zanetti, professor do Departamento de Física da UFPR (Universidade Federal do Paraná), a ideia é aproximar pesquisadores da sociedade em ambiente mais descontraído do que o acadêmico.

“Com isso, a gente pretende dar visibilidade e mostrar o impacto de todo o trabalho de pesquisa que é produzido em universidades, institutos, museus, etc., que acaba muitas vezes não transparecendo à população”, diz.

As palestras – com início previsto para as 19h – terão durações de 30 a 45 minutos seguidas de sessões de perguntas do público. A entrada é gratuita e não é necessário realizar inscrição. Os participantes vão pagar apenas o que consumirem nos estabelecimentos.

“É perfeito esse casamento de unir a cerveja com esse mundo tão abrangente que é a ciência. Pelas experiências que tivemos aqui no bar com o Pint of Science [em anos anteriores], vimos que o interesse das pessoas é gigantesco”, conta Michel Galvão, proprietário do Hop’n Roll, bar participante do festival desde sua estreia em Curitiba, em 2017.

A expectativa da organização local, da UFPR e UTFPR, é reunir cerca de duas mil pessoas nas palestras.

Realizado simultaneamente em todo o país, a quarta edição brasileira será a maior do mundo no festival presente em 24 países. Serão mais de 80 cidades – no Paraná, além da capital, Londrina e Foz do Iguaçu participam.

Os destaques

Técnicas de ciência forense, cidades inteligentes, inteligência artificial e até a Araucária, presente na nossa paisagem do dia a dia: o cardápio de hoje é variado.

Amanhã os debates passam pelo uso de agrotóxicos, arqueologia paranaense, violência obstétrica, uso da ciência em desastres mundiais e a dificuldade do homem em ser sustentável.

Já na quarta tem energias limpas, nanopartículas, filosofia, mudanças climáticas e até o gosto humano pela ficção, falando sobre Game of Thrones, série de televisão de enorme sucesso que terminou ontem após oito anos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="622740" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]