Florianópolis recebe 1ª etapa do CAN – Festival Internacional de Circo

Redação e Assessoria


Outubro começará com arte, movimento, precisão e teoria para os amantes da arte contemporânea. O CAN – Onde o circo é possível, festival internacional de circo, promete movimentar a cena cultural de Florianópolis.

A programação na capital será realizada de 3 a 6 de outubro, com mais de 40 workshops, cursos e atividades abertas a todos os níveis técnicos nas mais diversas modalidades circenses. Uma das grandes atrações será o trapézio voador, com oficinas diárias abertas aos participantes do evento; e o Open Festival, que traz no sábado, 06, espetáculos e performances gratuitas abertas ao público, ao longo do dia no Jurerê Sports Center.

Pedro Mello, idealizador do projeto e diretor do Circocan, explica que a ideia é realizar no Brasil, encontros que já acontecem em outros lugares do mundo, entre profissionais de circo das mais diversas áreas pra discutir, aprofundar e fomentar a linguagem do circo contemporâneo. “O CAN vai promover este encontro entre os artistas, com palestras, cursos de capacitação e criação, além de abrir as portas do circo contemporâneo para o público geral que se interessa pela arte e cultura circense”.

A proposta do evento é trazer conteúdo exclusivo, promover trocas e mostrar todas as potencialidades do circo, com seus aspectos sociais, educacionais, econômicos e artísticos. “A partir da experiência de 15 anos do Circocan em projetos culturais e educacionais na área do circo, o CAN surge para popularizar ainda mais a linguagem do circo como um agente inclusivo e transformador na sociedade”, ressalta Pedro.

O Festival contará com a participação de técnicos e artistas brasileiros e ingleses (National Centre for Circus Arts de Londres e Aerial Edge de Glasgow). Parte da programação do CAN envolve a apresentação do Projeto Ruas do Mundo, idealizado pelo ilusionista Diogo Alvares, que leva a arte de rua, o circo e a mágica para os 4 cantos do planeta. Em maio de 2018, o artista fez uma excursão pela zona de conflito próximo à Síria, apresentando-se aos refugiados sírios da cidade de Aleppo, em Gaziantep na Turquia. Fotos da viagem serão expostas no Festival, acompanhadas de uma palestra sobre a experiência de Diogo na zona de guerra, ressaltando a importância da arte, da cultura e do circo no resgate social.

A 2ª etapa de CAN – Onde o Circo é Possível, será realizada em Curitiba, na semana seguinte, de 10 a 14 de outubro. Para essa fase são convidados artistas (profissionais ou em formação), diretores, pesquisadores e professores para uma imersão intensiva. Os participantes poderão ficar hospedados no local do evento (Rancho MC – sede do Circocan HQ) pelos cinco dias tendo mais de 12 horas diárias de atividades e conteúdo técnico, artístico e pedagógico.

Previous ArticleNext Article