Barril produzido em PET é ótima opção para transporte de cerveja no verão

Redação e Assessoria

Com a chegada do verão o consumo de bebidas geladas, em especial de cervejas, aumenta. O Beerkeg – primeiro barril produzido em PET na América Latina – é hoje a opção mais econômica e eficiente para a exportação do produto para longas e curtas distâncias.

“Se comparado aos tradicionais barris de inox – que custam em média R$500 – o BeerKeg gera economias significativas para exportação e envio a longas distâncias”, explica o diretor executivo da Beerkeg, Renato Araújo.

Isso porque o BeerKeg permite que cervejarias tenham uma logística diferenciada de exportação, atendendo cidades e países onde antes não era possível chegar, devido ao alto custo logístico de retorno do barril de inox.

Cerveja artesanal para longas distâncias – Para que se tenha ideia a cervejaria Palta de Curitiba, envia suas cervejas em barris Beerkeg todos os meses para Recife e Bahia e, em breve, neste verão, para João Pessoa, Goiânia e Natal. “Este ano temos uma expectativa nova, já que o mercado está expandindo muito em pontos de venda. O chopp artesanal pode ser encontrado em todo lugar, fortalecendo o nosso mercado”, afirmou Vinícius Sampaio, proprietário da cervejaria Palta. “E para transportar o produto nós só usamos o Berkeg, o custo-benefício é o melhor”, garantiu.


O primeiro barril de cerveja produzido em PET da América Latina, o BeerKeg, também chegou ao mercado internacional.
Desde o início deste ano, países como Estados Unidos e Argentina recebem cervejas brasileiras exportadas no barril feito de PET, fabricado em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba.

Ao todo, cerca de 150 cervejarias no Brasil e exterior compram o Beerkeg para armazenar e transportar cerveja.
A entrada e a aceitação do Beerkeg no mercado internacional se deve a alguns fatores decisivos para os fabricantes de cervejas, especialmente, a redução nos custos.

A Way Beer, cerveja fabricada em Pinhais, no Paraná, está utilizando o Beerkeg para exportar chope para os Estados Unidos.
O sócio-proprietário da Way Beer, Alessandro Oliveira, relata que a exportação no Beerkeg garantiu uma redução de custos de 40%.
“O uso deste tipo de embalagem descartável, viabiliza a venda de chope em barril, já que eliminamos o frete de retorno do barril de inox que exige a logística reversa da embalagem”, compara.

A Cervejaria Urbana, de São Paulo, levou em Beerkegs 200 litros de suas cervejas artesanais para o Borefts Beer Festival 2018, que aconteceu na cervejaria Brouwerij de Molen, em Bodegraven, na Holanda. “Levamos a cerveja no avião em barris da Beerkeg e não tivemos problema. O festival reuniu cerca de 20 cervejarias e todos usando barris de PET. Ninguém mais está usando Inox na Alemanha também”, afirmou o cervejeiro André Cancegliero

Características

Com capacidade para armazenar 30 litros de chopp, o BeerKeg não altera o sabor do produto, possui caixa que protege o barril durante o transporte e manuseio, alça fixa exclusiva para ser transportado cheio e pesa apenas 1.11 kilogramas, ou seja, é 12 quilos mais leve do que o tradicional barril de inox. A caixa de papelão onda dupla que acompanha o Beerkeg também foi elaborada com base nas demandas do mercado.

A produção é 100% enclausurada, com controle de partículas para classe 100 mil partículas por FT3 (pé cúbico) e três sistemas de filtragens para evitar qualquer tipo de contaminação.

Outra vantagem do Beerkeg é que ele garante as características da cerveja por até um ano após o envase.

Novos produtos

Seguindo a tendência do mercado Europeu Beer-to-go (cerveja para levar), consolidada em vários países da Europa e Estados Unidos, a Beerkeg também oferece exclusivos growler descartável produzido em PET. Com capacidade para dois litros, o growler também foi desenvolvido como uma alternativa de menor custo.

Post anteriorPróximo post