O lado tranquilo e da alta gastronomia na Ilha do Mel, no litoral do Paraná

Guilherme Grandi


Para muita gente, ir à Ilha do Mel é sinônimo de passar os dias andando entre as trilhas ouvindo muito reggae e pessoas arriscando alguns acordes de violão na agitada praia de Encantadas. O principal ponto de desembarque para quem vem de Paranaguá ou Pontal do Sul não é o único atrativo da famosa ilha de apenas 1,5 mil habitantes (5 mil no pico de visitação na alta temporada).

Distante cerca de seis quilômetros dali está Nova Brasília, o segundo ponto de desembarque e menor do que a vizinha Encantadas. Logo na chegada já dá para perceber que este lado da Ilha é mais tranquilo, com apenas alguns barcos pesqueiros e o terminal receptivo de turistas. Diferente da outra, em Nova Brasília não há bares e restaurantes na beira da praia próximo ao trapiche. Tudo fica para dentro da mata, atravessando para a outra costa através de trilhas com um pouco mais de infraestrutura.

Os restaurantes, bares, lojas e pousadas em Nova Brasília são um pouco mais bem conservados, e a trilha sonora do caminho vai além de apenas reggae e violão. Não raro você escuta um pouco de música popular brasileira, bossa nova, e até mesmo um jazz no caminho até chegar à Pousada Treze Luas. Esta é uma das principais da Ilha do Mel, que poderia configurar em torno de quatro estrelas na comparação com a classificação de hotéis. Ela fica distante cerca de dois quilômetros do trapiche de Nova Brasília, mas a apenas alguns passos da Praia do Farol.

A Pousada Treze Luas fica a alguns passos da praia, e possui um ambiente rústico mas bem conservado. (foto: Juliano Maia)
A Pousada Treze Luas fica a alguns passos da praia, e possui um ambiente rústico mas bem conservado. (foto: Juliano Maia)

São dois mil metros quadrados de chalés rústicos no meio da mata atlântica, com 15 quartos divididos em três categorias com diárias a partir de R$ 405. A Treze Luas é uma das poucas pousadas da Ilha do Mel com aquecimento de água por energia solar ou a gás, ar condicionado e aquecimento nos quartos, televisão via satélite, aparelho de DVD e wi-fi em todo o perímetro. Em um dos chalés, onde ficam seis dos quartos ‘standard’ há uma área de convivência com biblioteca, mesa de jogos, sofás e poltronas, e redes na varanda, como se fosse uma casa de família mesmo.

Há, ainda, serviço de quarto diário, empréstimo de DVD’s e livros e serviços cobrados à parte como o aluguel de bicicleta (R$ 20 por hora ou R$ 60 o dia todo) e de prancha de surfe (R$ 50 por hora, com instrutor).

A Pousada Treze Luas foi a realização de Fernando Ricardo dos Santos, que largou a faculdade de agronomia no terceiro ano do curso para se dedicar ao sonho de morar na Ilha. O local abriu em 1999 com apenas um chalé, após dois anos de planejamento. Hoje ele e a família vivem ali, “com uma qualidade de vida muito melhor que em Curitiba, nem penso em voltar!”, relata ele. As viagens à capital são apenas a trabalho, quando a pousada precisa de algum insumo.

São três categorias de quartos, com tarifas a partir de R$ 405. (foto: Juliano Maia)
São três categorias de quartos, com tarifas a partir de R$ 405. (foto: Juliano Maia)

Esta opinião de que viver na Ilha do Mel é uma tranquilidade à vida agitada na cidade grande também é compartilhada por Paulina Lepchak, conhecida como Dona Paula, que toca o restaurante da pousada há dez anos. Esta senhora alegre e extrovertida era dona de casa na capital quando foi passar um fim de semana na praia. “Eu me apaixonei por este lugar, pela calma, e já na semana seguinte vim embora de vez”, conta ela aos risos. Dona Paula diz que “só vou para Curitiba quando realmente precisa. Certa vez fui passar férias para ficar uns dez dias, mas depois de cinco já voltei pra Ilha”.

Ela é uma espécie de gerente da Pousada Treze Luas, e divide com Fernando a tarefa de manter tudo funcionando. Dona Paula prepara um café da manhã bem servido das 8h às 10h30, com seis opções de pães, cinco geleias e manteigas, três frios, um a dois tipos de bolos, frutas, omelete, além de cereais matinais, iogurte natural, sucos, café e chá. É um pequeno banquete para começar o dia antes de ir à praia. Para quem não está hospedado na pousada, o café da manhã custa R$ 25 por pessoa.

Saindo da pousada à esquerda, com apenas alguns passos se chega à Praia de Fora, no lado direito do farol. É uma praia reservada, tranquila, com serviço de garçom durante a temporada. O cardápio de ‘pé na areia’ é aquele tradicional, com camarões ao alho e óleo e ao bafo (R$ 68), iscas de peixe e lulas salteadas (R$ 55). As bebidas também não fogem do comum, como as cervejas e chopes (a partir de R$ 8), as caipirinhas de limão e de frutas começando em R$ 20, e os drinks clássicos de Cuba Libre, Mojito, Gin Tonica, Aperol Spritz, entre outros, a partir de R$ 15.

DSC_0085 DSC_0088

Dois dos pratos preparados pelo chef Wesley Moreira. (foto: Juliano Maia)

Já no almoço e no jantar é que a culinária internacional realmente dá as caras no restaurante da Pousada Treze Luas, e todas aquelas opções básicas de restaurante de praia dão lugar a sabores mais contemporâneos. A cozinha é tocada pelo jovem chef Wesley Moreira, de apenas 20 anos, que veio de Apiaí (interior de São Paulo) para trabalhar na ilha durante um feriado. Pouco antes disso, ficou três anos em Curitiba estudando a arte das panelas. Wesley conta que “a minha especialidade é misturar sabores e temperos, criar pratos, receitas, testar coisas novas, e ter uma culinária própria”.

Duas das principais opções de entrada são os ceviches de salmão e de peixe branco (R$ 45, serve duas pessoas), com toques cítricos, uma leve pimenta e broas escuras. Já entre os principais, o fettuccine é feito de palmito pupunha e acompanha salmão grelhado com molho pesto (R$ 58, individual); o risoto leva lulas, mariscos e camarões (R$ 68); e a alcatra americana vem com um suculento steak com cebolas caramelizadas acompanhado de cogumelos, batatas canoa e arroz branco (R$ 53, individual).

Há, ainda, as massas de espaguete ou papardele com quatro opções de molhos (R$ 45, individual); as panquecas de carne, vegetariana, queijo e camarão (a partir de R$ 37); beirutes e hambúrgueres começando em R$ 26. Os vegetarianos também tem a opção do hambúrguer Veg (R$ 28), preparado com cogumelos.

O camarão ao alho e óleo pode ser servido tanto como entrada no restaurante como petisco na beira da praia. (foto: Juliano Maia)
O camarão ao alho e óleo pode ser servido tanto como entrada no restaurante como petisco na beira da praia. (foto: Juliano Maia)

A Pousada Treze Luas também oferece serviço de Spa durante a temporada, com massagem, pilates, yoga e outras atividades fitness durante a temporada de verão. Há, ainda, o serviço de carregador de malas desde o trapiche a R$ 30, já que o caminho é um pouco longo.

Por outro lado, apesar da distância do ponto de desembarque à pousada, este lado da Ilha possui atrativos naturais para quem quer um feriado ou fim de semana relaxante. As praias são mais tranquilas, o Farol está a poucos passos, e as noites são silenciosas após as 23h.

Para chegar à Ilha do Mel você pode embarcar nos terminais turísticos de Paranaguá ou Pontal do Sul, e pegar um dos barcos de travessia. De Pontal, há saídas a cada meia hora das 8h às 19h, a R$ 35 por pessoa ida e volta. Já de Paranaguá, a tarifa é de R$ 53 com saídas às 9h30, 13h e 16h30. Recomendamos pegar a partir de Pontal do Sul, onde você pode deixar seu carro em um dos vários estacionamentos da região. As diárias custam em torno de R$ 20 e alguns dos locais possuem tranfer até o terminal.

Informações:
Centro de Apoio ao Turista de Paranaguá – 41 3420-2785
Travessia – 41 3455-1129 / 41 3425-6325
Pousada Treze Luas – 41 3426-8067

Previous ArticleNext Article