Marcha pela Diversidade movimenta Curitiba neste domingo

Fernando Garcel


A 3ª Marcha Pela Diversidade bloqueia ruas da região central de Curitiba neste domingo (8). Serão nove horas de programação, com mais de 30 atrações. A concentração será na Praça Santos Andrade, às 13h. Por volta das 14h30, os participantes iniciam o deslocamento, atrás do trio elétrico, em direção à Praça Zacarias.

Os participantes da marcha vão sair da Praça Santos Andrade e seguir pela Rua João Negrão, passando pela Avenida Marechal Deodoro até chegar na Praça Zacarias. Para organizar o fluxo, haverá bloqueios nas ruas centrais, organizados por agentes da Superintendência de Trânsito (Setran) e pelo Batalhão da Polícia de Trânsito (BPTran). Haverá interrupção no tráfego de veículos no cruzamento da Avenida Marechal Deodoro com Barão do Rio Branco, Monsenhor Celso, Marechal Floriano, Doutor Muricy, João Negrão e Travessa da Lapa.

Marcha pela Diversidade

A marcha foi criada em 2016 com o intuito de conscientizar a população LGBTI sobre a necessidade de combate à LGBTIfobia, em alusão ao dia 17 de Maio, Dia Internacional de Combate à Violência Contra Pessoas LGBTI. Segundo o assessor de Políticas de Diversidade Sexual da Prefeitura, Allan Johan, a Marcha da Diversidade tem intuito de proporcionar um ambiente de conscientização política das pessoas LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros e Intesexessuais) de Curitiba.

A marcha “traz a tona debates acerca dos direitos da comunidade, como combate à violência, ao bullying e evasão escolar e a necessidade de acolhimento dos jovens LGBTI que não tem apoio familiar”, explica a organizadora do Coletivo Cássia, Ananda Puchta.

Allan Johan conta que “embora Curitiba tenha sido a primeira cidade brasileira a receber a marcha, a discriminação ainda causa grande impacto na vida das pessoas LGBTI. Por isso, a mobilização é tão importante para a comunidade”, afirma Johan.

O evento é organizado pela Aliança Nacional LGBTI, Grupo Dignidade, Coletivo Cássia e TransGrupo Marcela Prado. No próximo ano, será comemorado os 50 anos de Stonewall, marco do movimento dos direitos civis da população LGBTI.

Previous ArticleNext Article