Médico alerta para importância de prevenir quedas na terceira idade

Assessoria e Redação


A Organização Mundial da Saúde (OMS) registra anualmente cerca de um milhão de fraturas do fêmur em idosos no mundo inteiro, sendo que a grande maioria, 600 mil dos casos, ocorrem no Brasil, afetando de forma expressiva a qualidade e longevidade da população idosa do país.

“Aproximadamente 30% dos idosos brasileiros sofrem quedas e 50% destes ficam com a mobilidade reduzida, necessitando de algum auxílio para caminhar. E até 10% podem sofrer fraturas graves com complicações”, explica o Dr. Marcelo Gavazzoni Morozowski, especialista em Ortopedia, Traumatologia e Cirurgia do Quadril do Hospital São Vicente.

A principal preocupação, segundo o médico, é que as lesões ortopédicas causadas por quedas e fraturas apresentam maior dificuldade de reabilitação, e muitas vezes, acabam causando também complicações pulmonares e cardiológicas associadas aos traumas e/ou pela falta de mobilidade decorrente das lesões.

Ele explica que as fraturas de fêmur em idosos, por exemplo, estão associadas a um maior risco de complicações sistêmicas como o tromboembolismo pulmonar, agravados pela perda da capacidade de andar e de longos períodos acamado. “O risco de o paciente ir a óbito em um ano pode chegar a 30% dos casos, dependendo da gravidade”.

“Por isso o assunto prevenção de quedas na terceira idade é tão importante. Tratar desse assunto no ambiente familiar é um dos pontos mais importantes na prevenção das quedas e fraturas. Medidas simples, de organização familiar, podem salvar vidas. Evitar fatores de risco doméstico é um dever de todos”, alerta.

Mas como saber se os seus familiares precisam de ajuda? Para o médico, “é preciso estar atento a alguns sinais, como a dificuldade progressiva de caminhar sozinho ou necessidade de uso de bengalas, perda de força e da massa muscular, dificuldade de levantar sozinho da cama ou sofá, redução da capacidade de enxergar os objetos e alguma queda que já ocorreu dentro ou fora de casa”.

Outro fator importante que contribui para quedas é a osteoporose, uma doença silenciosa que dificilmente aponta sintomas e que deixa os ossos mais frágeis e porosos, especialmente em mulheres acima dos 45 anos. “À medida que vai progredindo com o avançar da idade, a doença aumenta o risco de fraturas, especialmente do quadril, da costela e colo do fêmur. O seu reconhecimento através de exames e avaliação com especialista propicia um tratamento adequado reduzindo as chances de fraturas”.

Confira o que você pode fazer para prevenir acidentes domésticos:

– No banheiro: Instalar barras de apoio em todo o espaço, principalmente próximo ao box e vaso sanitário; usar tapetes emborrachados antiderrapantes, manter uma boa iluminação e de fácil acesso.

– No quarto: Tudo deve ficar o mais simples possível, com área de circulação livre, sem tapetes e objetos que possam provocar a queda. Ajustar a altura da cama e utilizar sapatos com solado antiderrapante também são importantes para a prevenção.

– Na sala: Manter ambiente livre para circulação, utilizar iluminação adequada, poltronas firmes e altas com apoio para os braços.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="539301" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]