Memorial Paranista é entregue nesta sexta-feira (14)

Redação

Complexo cultural Memorial Paranista, no Parque São Lourenço, entregue pela prefeitura de Curitiba com obras de João Turin

O Memorial Paranista, localizado no Parque São Lourenço, é entregue nesta sexta-feira (14) pela prefeitura de Curitiba. O complexo cultural de seis mil metros quadrados une arte, turismo, meio ambiente e lazer, além de obras do escultor paranaense João Turin (1878-1949).

No fim do ano passado, foi inaugurado o Jardim das Esculturas, o maior do gênero no Brasil, que ocupa a área externa junto ao Parque São Lourenço. Agora, é concluída a segunda etapa, com uma reforma completa do Centro de Criatividade dando lugar a um novo complexo cultural em homenagem aos artistas da cidade e a um dos maiores mestres das artes paranaenses, o escultor João Turin.

“O Memorial Paranista é um exemplo único da união da cultura e do meio ambiente. Suas galerias com obras únicas, o Jardim das Esculturas e demais espaços enaltecem os símbolos do nosso estado e também temas recorrentes do trabalho do mestre João Turin”, destaca o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM).

imagens aéreas do Memorial Paranista
A prefeitura de Curitiba divulgou imagens realizadas por um drone durante à noite no local. (Foto: Reprodução)

O Memorial Paranista é constituído pelo Jardim das Esculturas e por três edificações interligadas por uma galeria com cobertura de vidro. De um lado, estão os acessos para o Teatro Cleon Jacques e para as duas salas de exposições, e de outro, o novo Ateliê de Esculturas, o Liceu das Artes e a loja ‘#CuritibaSuaLinda’, com produtos de artistas, designers e artesãos curitibanos.

Na próxima e última etapa, será reformado o prédio do antigo ateliê de esculturas para abrigar a Casa da Leitura Augusto Stresser e uma cafeteria.

O Jardim das Esculturas, na parte externa, é composto de um jardim com elementos paranistas, fontes de água e 13 obras de proporções heroicas do acervo de João Turin: Índio Guairacá II, Marumbi, Índio Guairacá I, Onça Brincando com Filhote, Onças Brincando, Onça Espreita II, Fundação de Curitiba, Onça Espreita I, Onça Descansando, Onça e Tartaruga, Casa Indígena, Autorretrato e As Quatro Estações.

Todas as peças são feitas de bronze; a maior delas é a “Marumbi”, com três metros de altura, quase três metros de largura, um metro de profundidade e aproximadamente 700 kg. Esta peça está estrategicamente instalada, a partir de uma perspectiva da galeria, em frente às fontes de água e ao portal representativo da arquitetura paranista.

Na área interna, os espaços foram organizados de forma a apresentar a arte escultórica e suas técnicas. Duas grandes portas de aço e vidro com elementos paranistas se abrem para uma galeria onde estão dispostos lado a lado 42 baixos-relevos com temas indígenas e retratos dos amigos de Turin – os artistas Theodoro de Bona, Alfredo Andersen, Zaco Paraná, o escritor Dario Vellozo, entre outros que também representam o movimento artístico do início do século 20.

obras de João Turin no Memorial Paranista
Espaço interno do Memorial Paranista. (Foto: Reprodução)

A galeria dá acesso às salas de exposições onde estão dispostas as demais obras. Neste espaço foi concebida a Capela Paranista, um memorial em homenagem às vítimas de covid-19, onde estão as obras Pietá e Caridade.

As visitas ao memorial acontecem de terça a sábado, das 10 às 18 horas, com agendamento no site agendamento-memorial-paranista.org. O Jardim das Esculturas pode ser visitado durante o horário de abertura do parque, das 6 às 18 horas, de segunda a sábado.

O endereço do Parque São Lourenço, onde é localizado o Memorial Paranista, fica na rua Mateus Leme, 4.700 – São Lourenço.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="764035" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]