Milton Gonçalves morre aos 88 anos no Rio de Janeiro

Ator e diretor sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) há dois anos e teve complicações desde então. Ele faleceu em casa, no Rio de Janeiro.

Redação - 30 de maio de 2022, 16:22

(Foto: Paulo Belote/Globo)
(Foto: Paulo Belote/Globo)

Morreu nesta segunda-feira (30) o ator Milton Gonçalves, aos 88 anos. Ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) há dois anos e teve complicações desde então. Segundo a família, ele faleceu em casa, no Rio de Janeiro, por volta das 12h30.

Em fevereiro de 2020, Milton sofreu um AVC isquêmico e ficou por três meses internado com dificuldades respiratórias no Hospital Samaritano.  

O ator era considerado um dos grandes nomes da teledramaturgia brasileira. A última novela dele foi em 2018, na novela 'O Tempo Não Para', da Globo. Em 2019, participou de uma temporada de 'Malhação'.

TRAJETÓRIA DE MILTON GONÇALVES

Nascido em 1933, Milton Gonçalves era mineiro, mas se mudou com a família para São Paulo ainda criança. Lá, começou a fazer teatro infantil e amador nos anos 40. O ator faz parte do primeiro grupo de atores contratados pela Globo, nos anos 60.

Desde então, fez mais de 40 novelas na emissora e também foi diretor. Com uma voz diferenciada, interpretou diferentes personagens como Braz Canoeiro em Irmãos Coragem; Padre Honório em Roque Santeiro, na versão censurada pela Ditadura Militar (1964-1985); Lourival Prata na versão da novela nos anos 80; Pai José em Sinhá Moça; Jair em Cobras & Lagartos; Romildo Rosa em A Favorita; e Afonso em Lado a Lado.

Milton Gonçalves foi o primeiro brasileiro a apresentar uma premiação do Emmy Internacional, em 2006. Ao lado da atriz americana Susan Sarandon, eles divulgaram os vencedores na categoria melhor programa infanto-juvenil. Na época, ele havia sido indicado ao Emmy pela atuação em Sinhá Moça.

O ator e diretor defendia a representatividade negra na televisão e no cinema, e seu nome virou um dos símbolos de luta pela igualdade racial.