Museu ferroviário de Piraquara ganha novas peças cedidas pelo Iphan

Guilherme Grandi


Com Metro Jornal

Um passeio turístico por Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, ganhou um novo ponto no roteiro: a Casa da Memória Ferroviária.

Localizado no centro da cidade, o museu já funcionava desde 2015, mas recebeu na semana passada um acervo de mais de 100 bens de valor histórico, tais como fotografias, documentos, instrumentos e objetos pessoais usados pelos trabalhadores ferroviários que atuaram na região de Curitiba desde o século XIX.

O acervo foi cedido pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que desde 2007 faz um inventário dos bens da antiga RFFSA (Rede Ferroviária Federal SA). Desde então já foram catalogados mais de 67 mil itens pelo país – que vão de locomotivas, vagões, carros de passageiros e maquinário até móveis, relógios, sinos, telégrafos e papéis.

“Os materiais pertencem à União, mas a gente cede aos municípios para que montem seus museus. A Lapa também acabou de inaugurar o dela [no final de setembro]”, conta José Luiz Desordi Lautert, superintendente do Iphan no Paraná.

Locomotivas
Outro esforço que o Iphan empreende no Paraná é pela restauração de locomotivas. Neste momento uma está sendo restaurada em Curitiba e há negociações para reforma de duas outras em Londrina, uma em Ponta Grossa e uma em Maringá. “Nossa primeira providência foi notificar as prefeituras para tirarem as locomotivas de praças e parques, onde ficavam sujeitas a vandalismo e à ação do tempo”, explica Lautert.

Maria fumaça vai ao Litoral no domingo
Em circulação pela região de Curitiba desde o último dia 7 e decorada com luzes natalinas, a locomotiva Maria Fumaça Mallet 204, que voltou a rodar pela capital depois de 40 anos, só ficará na cidade até sábado.
Nesta quinta, a partir das 17h, ela fará pela última vez no ano um roteiro por 12 bairros de Curitiba que passa pela Rodoferroviária, no Centro. Sexta, a atração passa por Pinhais e no domingo vai se deslocar ao Litoral, onde visitará Paranaguá e Morretes.

Previous ArticleNext Article