Polêmica envolve modelo americana

Angélica Fenley Belich


Lançada há 100 anos, a revista Vogue britânica é referência quando o assunto é conceito em moda. E a primeira edição da publicação em 2017 nem chegou às bancas e já causa polêmica. A editora Alexandra Shulman revelou há alguns dias que foi um desafio encontrar uma marca para vestir a modelo escolhida para a capa, a americana Ashley Graham. Considerada ícone entre as tops “plus size”, a bela usa tamanho 16, equivalente ao 44 no Brasil. Muito maior que as modelos-padrão, que geralmente vestem o nosso nacional 36.

À frente da bíblia da moda britânica há 24 anos, Alexandra revelou que estilistas “se recusaram” a emprestar roupas para serem usadas na capa da edição. Ela aproveitou a Carta do editor da publicação para expressar sua indignação e pontuar que “a indústria da moda deve ser mais diversificada”. Estilistas consultados para vestir a modelo afirmaram que não a vestiriam pois “as roupas teriam que vir de fora de sua gama de amostras”. Numa publicação no Instagram, a modelo descreveu como uma “honra absoluta” ser convidada para estrelar a capa da revista Vogue, a primeira em sua carreira. E esta não foi a primeira vez que Ashley “rompeu barreiras”. Em fevereiro deste ano, transformou-se a primeira mulher do tamanho 16 a aparecer na capa da edição da revista Sports Illustrated Swimsuit Issue, publicada anualmente e famosa por reunir mulheres de “corpos perfeitos”, considerada pelo ranking da Forbes como “a mais rentável do mundo”, em relação a anúncios.

E você, o que acha?

Vogue britânica de janeiro.
Vogue britânica de janeiro.

ashleygraham3

vestido

ashleygraham

 ashleygraham2

A modelo em diversas imagens . Fotos: Reprodução site pessoal

Previous ArticleNext Article