Saiba quais tratamentos estéticos fazer no verão

Caderno Gente


O inverno é, de fato, a melhor época do ano para fazer tratamentos estéticos pois há uma menor incidência de raios solares, ajudando a potencializar os resultados. No entanto, é possível sim fazer alguns procedimentos no verão sem prejudicar a pele. É o que garante a fisioterapeuta dermatofuncional da Neoderme, Ticiane Araújo Mallmann.

“Nesta época as mulheres estão ainda mais preocupadas com a aparência e com resultados mais rápidos. Por isso, conseguimos oferecer vários tratamentos seguros e eficazes”, explicou.

Ticiane lembrou, ainda, que a associação correta de técnicas garante o sucesso do tratamento. “Utilizamos combinações de tecnologias para tratar os diversos tipos de desarmonias corporais. Essas combinações tratam celulites de diferentes graus e características, flacidez, inchaço e gordura localizada”, ressaltou.

Mas afinal, o que pode ser feito? Confira as orientações da especialista:

  • velashape, ultrassom e terapia manual em uma única sessão: os resultados são visíveis logo na primeira sessão. Seguindo o planejamento de 10 sessões de tratamento os resultados são garantidos e mantidos;
  • detox corporal: um dos mais pedidos na estação, podendo eliminar até 3kg em uma única sessão;
  • depilação a laser: o laser Yag trabalha na camada mais profunda da pele, portanto, pode ser feito em pessoas bronzeadas e com pele mais escura sem queimar.

Desconfie das superpromoções

De acordo com Ticiane, é principalmente no verão que surgem inúmeras promoções e pacotes cada vez mais tentadores para a realização de tratamentos. No entanto, é importante o paciente se informar se a clínica possui licença sanitária e desconfiar dos preços muito baixos.

“O custo para manutenção dos equipamentos é alto, portanto, não existe mágica para preços muito baixos. Todos os equipamentos devem passar por laudos rigorosos anualmente, bem como as manutenções preventivas. Isso gera um custo alto, porém a segurança é garantida. Além disso, é bom lembrar que um profissional capacitado passa constantemente por reciclagens e cursos de imersões atualizados, então tudo isso gera um custo. A clínica deve ter licença sanitária e todos os produtos utilizados devem estar enquadrados na legislação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, resumiu a especialista.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="9916" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]