Monja Coen e Leandro Karnal realizam palestra no mês de setembro em Curitiba

Redação e Assessoria


Em tempos de crise, preconceito e intolerância, como transformar o ódio e construir uma cultura de paz? Pensando neste tema, é que Curitiba recebe Leandro Karnal e Monja Coen para duas sessões da palestra “O inferno somos nós: Do ódio à cultura de paz”, nos dias 28 e 29 de setembro de 2018.

O evento é baseado no livro que leva o mesmo título, lançado  pela editora Papirus recentemente, pelos dois autores. No dia 28, a palestra será no Teatro Positivo e, no dia 29, no Teatro Ópera de Arame. Os ingressos já estão à venda no Alô Ingressos e custam a partir de R$93,00.

Na palestra o historiador Leandro Karnal e a Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen-budista do Brasil vão fazer o público refletir em torno das relações humanas, o diálogo e a tolerância diante da diversidade de pessoas, de opiniões e de culturas. Também vão falar da intolerância, que suscita sentimentos ruins e atos violentos, e de como transformar a cultura de violência disseminada pelo planeta em cultura de paz, convidando a pensar o que é necessário para alcançar uma sociedade menos agressiva e mais acolhedora.

Atos de violência, escravidão, massacres e assassinatos sempre foram frequentes em todos os períodos da história. “A diferença, hoje, talvez esteja em duas novidades. A primeira é que temos mais informações sobre eles. E a segunda  é que existe hoje também, por uma série de fatores, no Ocidente em particular, uma exacerbação do ‘eu’, da sua autoestima e da ideia de que ‘se eu penso assim, isso é o correto’”, aponta Karnal.

Para a Monja Coen, a mídia precisa, sim, “alertar contra os malfeitos e os erros de compreensão humana, alertar contra os preconceitos e as discriminações, alertar contra as várias formas de violência. Mas é preciso também dar visibilidade ao que é benéfico, aos bons exemplos a serem seguidos”.

A proposta para uma cultura de paz remete a “uma revolução muito grande, uma grande transformação individual e social. Porque é necessário modificar todo um sistema educacional, dentro de escolas, universidades, as famílias…”, explica a Monja. “Quando condenamos o hábito alimentar de alguém, o tipo de roupa que ele veste ou a ausência de trajes, estamos falando de algo que incomoda mais a nós mesmos do que qualquer outra coisa, e muito menos sobre o outro, sobre o bem ou sobre a caridade e assim por diante”, acredita o historiador.

SERVIÇO:

Palestra com Monja Coen e Leandro Karnal e lançamento do livro: O inferno somos nós: Do ódio à cultura de paz.

Data: 28 de setembro

Horário: 19h45

Local: Teatro Positivo,  em Curitiba

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="550597" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]