Museus funcionam em horário especial entre o Natal e o Ano-Novo

Redação


Museus paranaenses estarão abertos para visitação em horário especial no período desde a véspera de Natal até o Ano-Novo. Quem busca uma programação cultural em Curitiba pode aproveitar a época para conhecer os espaços expositivos do Estado ou mesmo revisitá-los.

A maioria fecha nos dias 23, 24, 31 de dezembro e 1º de janeiro, com exceção do MON (Museu Oscar Niemeyer) e do MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná), que estarão abertos para visitação nos dias 24 e 31 de dezembro, das 10h às 14h.

No MON o destaque é a mostra Fronteiras em Aberto, da 14ª Bienal Internacional de Curitiba, que reúne o trabalho de cerca de 100 artistas nas salas 1, 2, 4, 9, 11, Espaço Araucária, Torre, Olho e Espaço Externo. O MON é a maior sede do evento, que também marca presença em todos os demais museus do Estado. Ainda estão em cartaz as mostras Mariana – Christian Cravo; O mundo mágico dos Ningyos; Luz ≅ Matéria e África: mãe de todos nós.

No Museu de Arte Contemporânea do Paraná, a exposição “Pequenos gestos: memórias disruptivas” apresenta obras de artistas do acervo em diferentes conjunturas e territórios, que desmantelaram narrativas que buscavam normalizar e naturalizar discursos e mecanismos de opressão. O MAC funciona temporariamente no MON enquanto sua sede, no Centro de Curitiba, passa por reforma. A entrada custa R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Maiores de 60 e menores de 12 anos não pagam. Às quartas-feiras a entrada é sempre gratuita.

NOVAS EXPOSIÇÕES

A exposição Ephemera/Perpétua ocupa três salas do andar superior do prédio histórico do Museu Paranaense. Multidisciplinar, a mostra reúne cerca de 180 peças do acervo do museu e instituições parcerias, apresentando um conjunto de exsicatas, pinturas, fotografias, vídeos, zoólitos milenares, livros, manuscritos, além de plumárias, adornos e lanças de diferentes etnias indígenas. É possível conferir também: Ocupação do território paranaense; Dinheiro e Honraria: o acervo de numismática do Museu Paranaense; Imigração no Paraná; Igrejas ucranianas no Paraná; Em foco: Iria Corrêa e Aproximações: ucranianos e poloneses nas fronteiras agrícolas do Paraná, do fotógrafo João Urban.

Recém-inaugurada, a exposição Ilhas da Imaginação, do Museu da Imagem e do Som do Paraná, faz um recorte no acervo tridimensional da instituição, composto por mais de mil itens, entre câmeras fotográficas, filmadoras, moviolas, toca-discos, vitrolas, televisões, projetores e muitos outros equipamentos ligados às áreas de cinema, fotografia, rádio e televisão. A mostra propõe um percurso que parte desse acervo, passa por dados históricos, técnicos e curiosidades, fomentando a imaginação ao guiar o visitante pelas memórias de cada objeto.

MOSTRAS PERMANENTES

Vivenciar o cotidiano do artista norueguês Alfredo Andersen é a experiência que o visitante pode experimentar no Museu Casa Alfredo Andersen. O espaço exibe parte do acervo do pintor, além de objetos e documentos da escola-ateliê.

E no Museu do Expedicionário, o acervo de fotografias, mapas, documentos, peças, ilustrações, filmes e livros retrata a participação da Força Expedicionária Brasileira  na Segunda Guerra Mundial.

Previous ArticleNext Article