Neymar: silêncio sobre pautas sociais gera cobrança de Felipe Neto

Neymar foi cobrado, publicamente, pelo youtuber Felipe Neto por não se manifestar sobre os protestos, nos Estados Unidos..

Redação - 01 de junho de 2020, 16:42

(Reprodução/Twitter)
(Reprodução/Twitter)

Neymar foi cobrado, publicamente, pelo youtuber Felipe Neto por não se manifestar sobre os protestos, nos Estados Unidos, que combatem o racismo.

"Vidas negras importam, mas nem todo mundo se importa", disse Felipe Neto ao compartilhar diversas publicações de Neymar.

Contudo, Felipe Neto apagou o post após receber mensagens de diversas lideranças de movimentos negros para apagar. Na visão deles, não cabe a um branco cobrar um negro sobre pautas raciais.

https://twitter.com/felipeneto/status/1267493105055531008

No entanto, o youtuber criticou Neymar pela postura em silêncio sobre outras pautas relevantes, como desmatamento na Amazônia e opressão.

"Isso não muda o fato de eu condenar o silêncio do jogador, que é, disparado, o maior influenciador digital brasileiro no mundo, mas que se silencia a respeito de quase todas as pautas humanitárias e sociais que assolam seu país de origem e se espalham pelo planeta", completou Felipe Neto.

https://twitter.com/felipeneto/status/1267493106179547136

Por enquanto, Neymar ainda não se manifestou sobre o assunto.

NEYMAR EM SILÊNCIO ENQUANTO OUTROS ESPORTISTAS SE MANIFESTAM

Enquanto Neymar não se pronuncia, diversos esportistas têm se pronunciado contra o racismo, escancarado nos Estados Unidos após o assassinato brutal de George Floyd, de 46 anos. Ele foi morto em Minneapolis após ficar quase 10 minutos com o joelho de um policial no seu pescoço, o impedindo de respirar.

Maior jogador de basquete da história, Michael Jordan reagiu com um "basta" enquanto diversos jogadores da modalidade estão indo aos protestos. Já o piloto Lewis Hamilton criticou a Fórmula 1 pelo silêncio após a morte de Floyd: "alguns de vocês são grandes estrelas, mas ficam calados no meio da injustiça", disparou.

Os Estados Unidos completam hoje sete dias de manifestações contra o racismo nesta segunda-feira (1). Desde a morte de Floyd, dezenas de cidades têm viaturas da polícia queimadas, lojas saqueadas e caos por causa dos manifestantes. Em reação, as autoridades estipularam toques de recolher enquanto o presidente Donald Trump cobrou os governadores para "dominem" os ativistas.

No futebol, apesar do silêncio de Neymar, a rodada do Campeonato Alemão realizada neste final de semana ficou marcada por duas manifestações de jogadores e clubes. Um dos maiores destaques foi Marcus Thuram, filho do ex-zagueiro Liliam Thuram, campeão mundial pela França em 1998.

O atacante, de 22 anos, marcou dois gols na goleada por 4 a 1 do Borussia sobre o Union Berlin e prestou homenagem a Floyd.

https://www.instagram.com/p/CA2yVN5o1Ls/

Quem também se pronunciou foi Jadon Sancho, atacante do Borussia Dortmund. Ele marcou um dos gols na goleada por 6 a 1 sobre o Paderborn e pediu "Justiça para George Floyd".

https://www.instagram.com/p/CA3V8Mrnr-1/