Nutricionista alerta sobre cuidados ao levar marmita para o trabalho

Francielly Azevedo e Assessoria

De acordo com a pesquisa “Preço Médio da Refeição 2017”, realizada pela Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (ASSERT), os brasileiros gastam, na região sul do país, em média R$ 34,34 por refeição fora de casa. Ao preparar a própria comida, esse valor pode ser reduzido para menos da metade. Por isso, a fim de economizar, muita gente opta por levar marmita para o trabalho, hábito cada vez mais comum nas empresas.

Para proporcionar mais conforto aos colaboradores, algumas empresas têm investido em espaços adequados para armazenagem dos alimentos e também para refeição. Na Unimed Maringá, quem leva comida para o trabalho tem à disposição um refeitório equipado com geladeira, micro-ondas e outros utensílios. Segundo a nutricionista da cooperativa, Larissa Troian, ter essa estrutura à disposição ajuda muito no bem-estar e saúde do colaborador.

Larissa orienta que o primeiro passo ao montar a marmita é pensar em um cardápio que seja equilibrado e nutritivo. “O ideal é que a refeição tenha um ou mais tipos de salada, alguma leguminosa como feijão, lentilha ou grão de bico e de preferência uma carne assada ou grelhada”, diz.

Os riscos de contaminação ou intoxicação alimentar podem ser evitados com alguns cuidados simples. “É preciso ficar atento ao recipiente que o alimento está sendo transportado, em quanto tempo permanece sem refrigeração e como a comida é aquecida. Esses fatores podem comprometer a qualidade dos alimentos e até fazer mal para quem os ingere”, explica.


Veja cinco dicas para manter sua marmita saudável e segura:

Para evitar contaminação alimentar, lave bem o recipiente da marmita antes de colocar os alimentos e imediatamente após a refeição. Use água e sabão em abundância;

Deixe a salada separada dos outros alimentos. Na hora de comer, tempere folhas ou legumes com azeite de oliva, vinagre, limão, ervas aromáticas ou vinagrete. Evite sal em excesso e molhos industrializados;

Transporte o alimento em uma bolsa térmica. Caso não seja possível, leve em bolsas ou mochilas, desde que o tempo fora da geladeira não passe de 40 minutos. Se precisar de mais tempo, use cubos de gelo reutilizáveis;

Não é aconselhável esquentar alimentos em recipientes de plástico, pois alguns contêm substâncias tóxicas. Para aquecer a comida, prefira um prato ou recipiente de outro material;

Recipientes em vidro são os mais recomendados para armazenar e aquecer a comida, pois podem ser usados no forno convencional ou no micro-ondas. O material é fácil de lavar e conserva o sabor dos alimentos.

Post anteriorPróximo post
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Repórter do Paraná Portal e Rádio CBN. Tem passagens pela TV éParaná, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina.
Comentários de Facebook