Pegue o violão e tire de ouvido: tem música de “sofrência” num filme de super-herói

Pedro Ribeiro


PopCorn Music

 

Por Daniel Derevecki

Ninguém tem dúvida de que as canções românticas embalam corações no cinema há décadas e fazem parte da história de muitos casais. Pare por um momento e tente lembrar de algumas músicas: lembrou, não é? Mas quando foi que você ouviu uma música melosa, com cara de sofrência em um filme de super-herói? Agora deve ter ficado mais difícil de lembrar. Então, “Aquaman”, a nova produção da DC, pode ser considerado inovador ou brega neste quesito, porque é exatamente isso o que você vai ouvir no filme.

O compositor da trilha é o inglês Rupert Gregson-Williams, de 52 anos, que já havia escrito a música do filme solo da “Mulher Maravilha”. Ele é o segundo compositor a trabalhar em mais de uma produção da DC, antes dele apenas Hans Zimmer conseguira o feito, primeiro em “O Homem de Aço” e depois em “Batman vs. Superman: a origem da Justiça”.

Na semana passada escrevi sobre o tema musical do “Aquaman” que estava circulando pela internet. Falei bem do tema, que me despertou curiosidade sobre a trilha sonora do filme como um todo por algumas razões (depois dê uma olhada na coluna, o link vai estar no final). Acontece que o tema musical praticamente sumiu do filme, só aparece timidamente lá para mais da metade e depois é jogado de vez nas profundezas do oceano. Isso pode ter ocorrido porque as atenções são direcionadas à canção “Everything I Need”, interpretada pela cantora pop norte-americana Skylar Grey. Para não dar spoiler, não vou entrar nos detalhes do momento em que a canção toca, mas uma coisa eu posso adiantar: não fosse pela letra, não teria relação com a música do restante do filme.

A minha afirmação baseia-se na ideia do desenvolvimento de um tema musical. Vou tomar como exemplo o filme “Titanic” (1997), cuja música foi escrita por James Horner, falecido em 2015. Todo mundo lembra da história de um romance fictício que se passa durante a fatídica viagem que culminou com o naufrágio. É impossível também não lembrar da música “My Heart Will Go On”, na voz da Celine Dion. Acontece que ela só canta nos créditos finais. Isso mesmo, a Celine Dion não canta durante o filme. Mas então, como essa música ficou famosa como “A Música do Titanic”, o hit dos casamentos e festas de debutantes? Muito bem, a canção ganhou essa notoriedade porque sua melodia surge em várias citações durante a trilha sonora do filme, até mesmo nos momentos de ação. Quando, por fim, a versão cantada é revelada ao final do filme, isso acontece como uma espécie de coroação do tema.

É exatamente aí que o “Aquaman” afunda, porque a melodia da canção “Everything I Need” não dá as caras na trilha sonora do filme, pelo menos não de forma perceptível. E mais, a versão cantada vem durante o filme. Parece um pouco forçado, algo do tipo: “goste dessa música”. Note, o problema não está no fato de haver romance em um filme de super-herói, o beijo do Homem Aranha e da Mary Jane em 2002, por exemplo, é uma das cenas clássicas do cinema do século XXI. O problema é a canção estar descontextualizada do restante da trilha sonora.

Agora façamos justiça, nem por isso a trilha ou a canção são ruins, muito pelo contrário. A trilha tem uma orquestração primorosa, inclusive com um coral de arrepiar, além dos ótimos timbres de sintetizadores. Há momentos em que a música deixa espaço apenas para o “sound design” e em outros interage de forma eficiente com o restante da obra. E a canção? É boa. A letra é bonita, a melodia é simples, mas bem construída, e a harmonia é fácil de perceber e tocar depois naquela roda de amigos. A voz da cantora também agrada. O autor é o próprio Gregson-Williams, que escreveu uma progressão de acordes que circula durante toda a canção utilizando os seguintes graus (vi, IV, I, V), que se colocarmos na tonalidade da música, D (Ré Maior), correspondem aos seguintes acordes: Bm, G, D e A. Fica a dica para a galera que toca violão.

No mais é só estourar a pipoca, aumentar o som e já começar a tirar de ouvido a música de sofrência do “Aquaman”, porque a trilha sonora está disponível no Spotify.

Link da coluna anterior: https://paranaportal.uol.com.br/gente/aquaman-com-musica-mulher-de-maravilha/

Daniel Derevecki é bacharel em Música Popular pela Universidade Estadual do Paraná.
Instagram: @danielderevecki
Facebook: @danieldereveckimusic
Twitter: @danielderevecki

Previous ArticleNext Article