Quais os rumos do Teatro Guaíra?

Redação e Metro Jornal Curitiba

Produtora cultural Monica Rischbieter permanece no cargo de diretora-presidente do Teatro Guaíra. Seus planos incluem a manutenção das viagens de espetáculos a outros municípios e repertório de sucessos para balé e orquestra

Por definição da nova gestão estadual, Monica Rischbieter permanece no cargo de diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, que ocupa desde 2011. Em entrevista ao Metro Jornal, Monica – que é produtora cultural, diretora de cinema e que foi secretária da Cultura durante o governo Jaime Lerner – fala sobre o que vem por aí no Teatro Guaíra.

Após um período que considera de grandes realizações do centro cultural, Monica diz pretender dar continuidade aos projetos de sucesso e trazer novidades para a Orquestra Sinfônica e para o Balé Teatro Guaíra. “Estou super feliz porque adoro esse lugar e quero muito fazer coisas novas”, diz.

Entre as ações realizadas nos últimos anos que devem ser mantidas estão as viagens a regiões fora de Curitiba, como os municípios da região metropolitana. Apesar das dificuldades citadas por Monica – como os gastos para transportar, por exemplo, os mais de 70 músicos da Orquestra Sinfônica do Paraná e seus instrumentos – ela pretende prosseguir com os projetos de levar os espetáculos para outras cidades.

A diretora-presidente ainda menciona outros planos e “sonhos” – como a possibilidade de viagens do Balé Teatro Guaíra para fora do Brasil – que devem trazer ainda mais prestígio à produção artística do centro cultural – e dentro do país. “Queremos destacar o Balé Guaíra no cenário nacional”, diz Monica.


Ainda em relação ao balé, o ano de 2019 deve contar com espetáculos que foram grandes sucessos do grupo. Segundo Monica, também será realizada uma audição para compor o cadastro reserva, ao qual se recorre nas ocasiões em que um dos 23 bailarinos deixa o grupo.

Quanto à Orquestra Sinfônica do Paraná, haverá, entre os meses de junho e julho, uma audição para selecionar dez novos músicos. O maestro alemão Stefan Geiger permanece à frente da
orquestra, que continuará interpretando grandes composições da música clássica.

A diretora-presidente cita ainda as mudanças que devem ser realizadas na estrutura física do Teatro Guaíra, como o restauro de camarins.

Post anteriorPróximo post