Site de Mario Frias diz que encontro de portugueses e indígenas foi amigável

Conforme diversos historiadores já relataram, a colonização portuguesa subjugou e exterminou milhares de indígenas brasileiros

João Perassoloassolo - Folhapress - 25 de fevereiro de 2022, 16:36

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O site dedicado aos 200 anos da independência brasileira lançado pela Secretaria Especial da Cultura há poucos dias mostra uma relação supostamente idílica entre os povos nativos do Brasil e os conquistadores europeus.

"O encontro entre índios e portugueses foi marcado pelo tom pacífico, amigável e de mútuo interesse por parte dos dois povos. A receptividade, a alegria e a boa acolhida ainda hoje são marcas presentes no comportamento dos brasileiros", diz um trecho do texto na seção Memorial da Soberania.

O portal do bicentenário, que entrou no ar dia 18, é uma das primeiras ações da pasta da Cultura em relação ao tema que deve dominar boa parte da agenda do secretário Mario Frias no segundo semestre.

Conforme diversos historiadores já relataram, a colonização portuguesa subjugou e exterminou milhares de indígenas brasileiros. Os povos originários do Brasil receberam a alcunha de "selvagens" e foram escravizados, pois eram a única mão de obra disponível.

Além de ameaças e de força física, os colonizadores trouxeram doenças como tuberculose e gripe, numa relação longe da amigável.

A escravidão indígena só é mencionada no 25° parágrafo do site.

Nesta sexta (25), Frias anunciou um calendário sobre os 200 anos da independência que será distribuído em eventos alusivos à data. Já o secretário de fomento, André Porciúncula, postou em seu Twitter a imagem de um cartaz onde se vê uma ilustração de Dom Pedro sobre um cavalo numa pose heroica, afirmando na legenda que "vem novidade boa por aí".

Um dos ilustradores deste cartaz é o bolsonarista Joe Bennet, que desenhava para a Marvel Comics desde 1984 até ser desligado da editora de quadrinhos em setembro do ano passado.

Embora a Marvel não tenha confirmado o motivo do cancelamento do contrato, o escritor de quadrinhos britânico Al Ewing –parceiro de trabalho de Bennet em "O Imortal Hulk"– fez uma série de posts no qual cita uma ilustração feita por Bennet que mostra Bolsonaro como um guerreiro brandindo uma espada e assustando Lula e Dilma, retratados como vermes.

No ano passado, Frias anunciou um edital de R$ 30 milhões para selecionar projetos de obras audiovisuais voltados à comemoração dos 200 anos da independência.

Cerca de 20 produções serão contempladas.

  • Veja também: